31 janeiro 2014

Dos Açores com génio

"Com o “direito ao canudo” sobreveio o “direito à praxe” e o ritual de integração na Academia degenerou numa legitimação parola da humilhação. Na cultura do facilitismo os estudantes veneram as tunas, os trajes e as praxes, em vez de idolatrarem, com aproveitamento,Atena ou Minerva. Tudo sinais exteriores de uma classe social com estatuto corporativo. Eça, bom conhecedor da psique do arrivismo, satirizou que a maior vantagem da Universidade, como instituição social, era o “apartheid” entre estudantes e futricas. Entre os que «vivem de revolver ideias» e «aqueles que vivem do trabalho». Duas classes : «uma que sabe, outra que produz» em «dois mundos que caminham paralelamente na civilização: um com o título egrégio de Bacharel, outro com o nome emblemático de Futrica». O deslumbre português com os “doutores e engenheiros” é atávico e tolera este “status quo”. Nos campus universitários é tradição a encenação burlesca de tribunais com “julgamentos” e “execuções” sumárias dos praxados. Brandos costumes para uma audiência ignorante, cujo espírito se alimenta da boçalidade e não das Letras. Para lá dos casos de polícia, reservados aos verdadeiros tribunais, a praxe é um caso de indigência mental".

João Nuno Almeida e Sousa, in O Açoriano Oriental

1 comentário:

José María Souza Costa disse...

CONVITE
Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
Eu também tenho um, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com