23 setembro 2013

A vitória do rigor


Finalmente estabilizada no centro - no coração, no cérebro e na sua força de trabalho - a Europa poderá encontrar a unidade de procedimentos que, sem paternalismos, torne possível impor do centro à periferia as ideias de competência, de organização eficaz e de transparência na governação. Os alemães demonstraram hoje que ali não campeiam o amadorismo, a demagogia e o clientelismo que devastaram o mundo mediterrânico. A vitória de Merkel foi, afinal, um prémio à clareza, à honestidade e ao rigor. Os europeus que aprendam a viver segundo as suas possibilidades.
Uma vitória do SPD, esperada por quantos não querem e se recusam encarar os dilemas e desafios - aqueles que teimam em prolongar a agonia de uma ilusão de desafogo [a crédito] - iria certamente adiar o que já não pode ser adiado.

Sem comentários: