05 agosto 2013

Sejamos quatro na Península Ibérica


Madrid ameaça que passará a executar uma taxa terrorista a quantos entrem ou saiam da possessão ultramarina britânica de Gibraltar. Estranho procedimento o de Madrid, pois o rochedo foi cedido em Utreque a título perpétuo, com anuência e assinatura espanhola. Se bem que a população local não queira nem aceite ser trocada numas quaisquer negociações, seria oportuno lembrar que se o critério da cedência assentasse exclusivamente na filiação étnica e nacional da população residente, a Portugal, assim como à Itália, caberia parte de leão no processo de devolução, dado apenas 25% dos gibraltinos serem de ascendência espanhola, sendo que italianos são 20% e portugueses 10%. Espanta-nos igualmente o mutismo espanhol a respeito de Olivença, essa, sim, devolvida por tratado a Portugal. 
A península não se limita, pois, a Portugal e Espanha. É bom que a Grã-Bretanha e a velha Andorra partilhem a península cispirenaica, evitando a hegemonia e veleidades supremacistas de um dos Estados nela presente. Para mais, a Espanha não detém força dissuasória suficiente para impedir que atrevimentos oriundos do Norte de África se manifestem nas Colunas de Hércules.

Sem comentários: