12 junho 2013

A república segundo Baptista Bastos

O blá-blá-blá da república num texto antológico do meu comunista de estimação - homem impoluto e bom - que é o Baptista Bastos.

8 comentários:

Daniel Azevedo disse...

Impoluto e bom que andou décadas a viver numa casa da câmara municipal porque sim - enquanto os outros que se esfalfassem a pagar o tecto debaixo do qual vivem,não é?

Agora sou eu quem digo: vá-se despir!

Combustões disse...

Não ataco Baptista-Bastos, pois tenho pelo homem - que está nos antípodas de tudo o que penso e defendo - um grande respeito. Foi ele [Baptista-Bastos] que deu a mão, visitou e esteve à cabeceira de um "fascista" (António Maria Zorro) nos derradeiros meses da misteriosa e implacável doença prolongada que acabou por vitimar um grande amigo meu. Baptista-Bastos pode ter todos os defeitos de arrogância, pesporrência, irritância, monomania e ligeireza que se lhe queiram atribuir, mas naqueles meses foi o anjo da guarda, o amigo presente, o colega de que António Maria precisava para entreter os dias do inverno de uma vida que se finava. Ao lado dele não estiveram os "católicos", os "monárquicos", os "nacionalistas", os "Mocidade Portuguesa", os ex-SNI, ex-ANI e ex-ANP. Foi um comunista. Por isso, onde quer que se mastiguem comentários sobre BB, saio em sua defesa e mando calar os poltrões.

Luís Lavoura disse...

Concordo com Daniel Azevedo.

Daniel Azevedo disse...

Concordo com o que diz de defender quem tem actos de convicção e de altruísmo.

Agora o que me insurjo é contra o facto de empregar o adjectivo: impoluto.

Eu não sou religioso e para mim não há actos redentores e o perdão tem muito que se lhe diga.
Durante anos o dito jornalista fustigou a turba com as suas admoestações de moral contra os corruptos que enganam o povo e que vivem ás suas custas.
E então, ficamos a saber que afinal também tem pés (senão o corpo todo) em barro. E o senhor Castelo Branco vem empregar o termo "impoluto"?

E depois é engraçado de ver, como o senhor está sempre a dizer que não insulta ninguém mas consegue sempre arranjar maneiras de adjectivar contra quem discorda da sua opinião. Ou é poltrão, ou estroína, ou tem dificuldades mentais.
É tão portuguesa essa maneira de agir!

Cumprimentos


Combustões disse...

Daniel:
Pelo que me disseram, a tal tebaida tem um quarto e uma sala mínimos, uma casa de banho 2x2 e uma varanda de 1x3.
Quanto às considerações que a meu respeito faz, a elas não respondo, pois as palavras são suas.
Cumprimentos
MCB

GabrielP. disse...

Meu caro,
Sigo o seu blogue, estando (igualmente) nos antípodas de tudo o que pensa e defende.Mas tenho [não sendo comunista nem conhecendo pessoalmente Baptista-Bastos] um grande respeito pela amizade, pela verdadeira fraternidade e, se quiser, por um bom par de tomates quando realmente são necessários. Talvez por isso faça parte da minha barra lateral. Bem haja.

rui a. disse...

O que refere sobre o comportamento de Baptista Bastos em relação a António Maria Zorro é uma linha amável na sua biografia, mas que não apaga o resto das muitas páginas lamentáveis que ela contém. E menos ainda o permite qualificar como «poltrões», adectivo que denigre um carácter, aqueles que sobre a pessoa do Bastos não partilham a sua opinião. Um episódio de vida não faz uma vida inteira.

Cumprimentos,

alberico.lopes disse...

O facto de ser uma "tebaida" não invalida que o sr.do lacinho não seja um oportunista! E que só tem essa mordomia por andar a saracotear-se à volta do monhé costa como já andou a lamber o cenoura sampaio!Esquece-se que também uma antiga vice-presidente da CML viveu(ainda vive?)na Rua do Salitre a expensas nossas!E já agora,porque carga de água,as despesas de funcionamento da "fundação da espanhola de Lazarote" hão-de ser pagas por si e por mim?A propósito:nunca fui "poltrão"!Mas anti-comunist,talvez!E sobretudo anti-oportunistas e falsos moralistas!Como o BB!