23 abril 2013

Uma nótula mais para o fim da Europa

Os britânicos estão e emalar e deixarão o Afeganistão até finais do ano. Grande celeuma a propósito dos seiscentos intérpretes afegãos ao serviço das  forças expedicionárias de S.M., deixados para trás à mercê dos talibãs que se assenhorarão do território após a partida das forças ocidentais. Estes homens foram, ao longo de dez anos, os olhos e os ouvidos dos britânicos, arriscaram a vida participando em missões de combate em zonas de guerra, prestaram serviços relevantes.


A Grã-Bretanha recusa conceder-lhes asilo político, pelo que a sorte desses colaboradores e respectivas famílias parece selado. Enquanto os ocidentais - sempre pródigos em tonitruantes exibições de fetichismo nas grandes Cartas - se continuarem a portar ao arrepio das mais elementares regras ditadas pela consciência, nada feito. O Afeganistão tem sido uma sucessão de mal-entendidos e fracassos, tal como foi o Iraque e será a Líbia. Contudo, há um mínimo de decoro [que fazia parte da ética europeia] e que vai desaparecendo com os meninos que tomaram de assalto os centros de decisão ocidentais. São meninos educados no mais chão pragmatismo da lógica do negócio e do lucro, sem travejamento, sem referências e, sobretudo, sem moral alguma. Nada que não saibamos há muito; por outras palavras, a Europa deixou de o ser.

4 comentários:

José Domingos disse...

Estes "meninos", vendem a mãe, se isso lhes der algum lucro.
É esta gentalha que se governa com o nosso sacrificio.

Duarte Meira disse...


Também cá temos destes meninos, tipicamente um no qual o Miguel tem posto muitas esperanças.
Veremos.

swedenborg disse...

Ora, os professores dessa geração de meninos mimados foram mais longe ainda, deixaram a merce da vingança, da pobreza e da humilhação os de seu próprio sangue, como vós bem sentires no abandono do Ultramar, o jogar ao Mediterrâneo centenas de milhares de pieds noir e o abandono de africanos ingleses fixados há mais de século na África centro-oriental.Os de hoje só são mais dissimulados, a merda que os anima é a mesma.

EJSantos disse...

Esta hipocriasia e cinismo desumano é mais um dos sinais da decadencia europeia.
Noticia que me deixa muito triste.