13 abril 2013

Não lhe fica nada bem, dr. Soares, voltar aos 13 anos de idade


Esta não é a primeira vez que o dr. Mário Soares faz turvas alusões a um possível magnicídio. Fê-lo há meses, num discurso apoplético em jantar do PS, afirmando então que "esta gente" (o governo) tem de "ser destruída". Agora, em entrevista ao I, ajusta a mira e procura a cabeça do governo. Com o passar dos anos, o dr. Soares parece voltar ao fascínio das sua primícias leninistas e arrasta pela lama os predicados de lutador pela democracia, aderindo ao culto da violência e da propaganda pelo facto. É triste que esteja a desfazer o que resta da minguada cultura democrática de respeito pelos adversários, que fale em morte e, desta forma, ajude a escavar o enorme buracão de subdesenvolvimento que vai nas cabeças da maioria dos nossos concidadãos. Estranho que não haja na família uma mulher ou um filho que lhe diga que não diga mais sandices, que deve ficar em casa, que não deve atender o telefone, que há livros e papeis velhos a arrumar ou uns passeios sanitários com os netinhos. 
Os políticos são como as prima donas. Ou sabem sair a tempo, ganhar distância, aplacar as ânsias das ovações, ou transformam-se em assombrações patéticas, dignas de piedade. O dr. Soares abeira-se do século e nessa idade as pessoas devem ser poupadas ao ridículo, poupando os outros ao incómodo de as ouvir dizer coisas próprias de meninos púberes.

2 comentários:

José Domingos disse...

Mas é de esquerda, pode dizer o que quizer. É a autoridade moral da esquerda, que ainda não percebi.
Tem sangue nas mão da descolonização, devia estar preso, depois temos um jornalismo de mer..que papa destes fretes.
Se alguém considerado de direita, que falasse assim, era o fim do mundo, os mocinhos de recados, das redações, tinham conversa para uma semana, a igualdade constitucional e o caminho para o socialismo, tem destas coisa

Pedro Soares Lourenço disse...

Tal e qual, Miguel..., absolutamente de acordo!