17 março 2013

O mau PS: o regresso dos walking dead


Houve um tempo em que o PS tinha gente limpa e decente. Estivesse ou não de acordo com eles, Sottomayor Cardia, Medina Carreira, Raul Rego, António Barreto e Daniel Bessa eram senhores de lhes tirar o chapéu. De parte, naturalmente, o Almeida Tantos e o Poeta Alegre, motivos sobejos para desconfiar da montra. Depois, veio a enxurrada e só Seguro voltou a aprimorar o menu. E eu que pensava que Seguro havia feito no PS a barrela que Passos Coelho fez no PSD, razão que leva as Ferreiras Leite, os Marques 10 valores, os Marcelos e Capuchos a odiarem tanto o governo. Fraco mas sensato, cinzento mas atinado, sem-chama mas certinho, o PS de Seguro, açulado pela tempestade de irracionalidade que assola o país, está a dar perigosos passos na involução. Até há pouco, Seguro dava mostras de extrema habilidade, fugindo à tentação da rua, aos Baptistas da Silva, às Anas Gomes, Manuelinhos de Évora e demais loucos do apocalipse. Agora, picado pelas ambições de campanário das famigeradas cliques autárquicas - as tais que em quarenta anos transformaram o país do verde pinho num desastre ambiental e urbanístico - Seguro faz sentar à sua mesa cadáveres vivos, gente que o meridiano bom senso trataria de sepultar nos quintos da memória, gente inapresentável que julgávamos colocada à porta da vida política por elementares razões olfativas.
O regresso do casca-grossismo de Coelho às lides é mau sinal. É o pior PS, quase analfabeto e carregado de ligações perigosas, negócios e negociatas, betão, especulação, favorecimento, mentira e demagogia. O dinheiro novo dessa burguesia corroceira saída das alfurjas do Estado-partido vai tomar conta da agenda eleitoral. Querem negócios que só os cofres do orçamento podem alimentar, estão esfomeados e precisam, urgentemente, dos sólios ministeriais que voltem a inundar os portugueses de metadona, crédito e "políticas sociais" que agravarão irrecuperavelmente a já calamitosa situação do país. António José Seguro, assim não dá !

3 comentários:

jorge.oraetlabora disse...

O coelhone quer voltar à política...!
O cobarde do episódio de Entre-os-Rios devia ter vergonha na cara e não voltar a aparecer em público !
Mas, na verdade, essa gente não tem consciência e não sabe o que são princípios nem moral...

alberico.lopes disse...

Como eu gostava de ser capaz de dizer num simples post como este toda a bandalheira que significa a sigla PS!
É que ver e ouvir pés-descalços como o coelhone e seus muchachos,já enjoa!Só falta o vara!Venham mais cinco!

Luis Moreira disse...

Coelhone a trabalhar numa empresa privada cansou-se depressa. Na política é que é. Influenciar as negociatas e dizer umas idiotices na TV.