26 março 2013

As pessoas não se informam e acabam sempre por tomar o partido de bandidos

Há muito me dei conta da absoluta falta de capacidade da generalidade das pessoas em parar, reflectir e suspender juízos de valor e domar preconceitos. Investem cegamente, reagem por instinto e por paixão cega, acabando, sempre, por favorecer a injustiça, tomar partido por criminosos e penalizar quem procura repor a legalidade. A onda de solidariedade pelos gangsters russos - que possuem 95% do capital depositado em bancos cipriotas, 30 dos 230 biliões roubados na Rússia - serve, amiúde, para vazar ódio à Alemanha ( a locomotiva da economia europeia), à Europa (que sobre nós derramou desde 1986 mais de 300 biliões a fundo perdido, literalmene) e procurar culpados externos pelo desastre que sobre Portugal se abateu.
Ter-se-ão esquecido os indignados que boa fatia da vida boa e desocupada que muita gente levou ao longo de quase três décadas saiu directamente dos bolsos dos contribuintes alemães? Há gente que nunca trabalhou na vida, nunca teve obrigações, nunca pagou impostos, nunca serviu a comunidade e viveu sempre às custas de terceiros, mas que ousa derramar doutrina sobre o assunto da ordem do dia.
Com o passar das horas, as novas que vão chegando são abracadabrantes. É tempo dos estridentes irreflectidos deixarem fluir as notícias.

Still, Moody’s Investors Service (MCO) estimates that Russian individuals and companies have at least $30 billion in Cypriot banks. If those depositors aren’t Russia’s mega-rich, who are they?
Aleksashenko says he suspects they are “medium oligarchs,” wealthy individuals and business owners who wanted to keep money offshore as a safeguard against political and economic risk at home. Capital flight from Russia has intensified in recent years, reaching at least $50 billion in 2012. Cyprus’s close cultural and religious ties with Russia, and its tradition of banking secrecy, have made it an attractive haven.
Clearly, some Russian money in Cyprus banks has come from unsavory sources. Investigators hunting $230 million stolen in a Russian fraud uncovered by tax attorney Sergei Magnitsky traced millions to bank accounts owned by shell companies in Cyprus.

3 comentários:

cardo disse...

"A onda de solidariedade pelos gangsters russos..."

Isto me lembra o Niemöller:

"Quando os nazistas levaram os comunistas, eu calei-me, porque, afinal, eu não era comunista."

A questão é saber quem será o próximo.

Luís Lavoura disse...

os gangsters russos

Segundo já li, há muitos russos "normais", incluindo muitas médias empresas russas, que têm contas em Chipre. Não são apenas, nem sequer principalmente, gangsters.

José Lima disse...

Concordo com o Miguel quando afirma que os culpados pelo desastre português são os próprios portugueses e não a Alemanha; porém, citando o antigo chanceler alemão Helmuth Schmidt, será bom que a Alemanha não se esqueça que os seus "superavits" são os "deficits" dos seus restantes parceiros europeus... E não é linear que a actual chanceler alemã Angela Merkel tenha compreendido isto, muito pelo contrário...