18 março 2013

A dr.ª burra do ISCSP ou a necessidade de cópias, ditados e redacções


Passos Coelho vaiado por meia dúzia de pirralhos no ISCSP. A comunicação dita social não quer saber do tema que ali levou o Primeiro-Ministro - a reforma do Estado - mas derranca-se em adoração vergonhosa na captação das "inquietações" (como detesto o palavrão) dos meninos candidatos a dótóres. Uma menina com um aparelhão de aço colado aos dentes, coisa do tamanho de um Panzer IV, faz de porta-voz das indignações, exigindo a demissão do governo, frisando que essa é a vontade dos "cidadões" (sic). Para uma estudante de Ciência Política, a gaffe diz tudo. Assim vai a universidade portuguesa e a tal geração que se diz a mais bem preparada de sempre, mas não consegue escrever uma frase sem dois erros ortográficos, não sabe distinguir tempos verbais, comete erros de concordância, desconhece a sintaxe básica e domina um léxico que não ultrapassa o de uma simpática catatua caseira.

5 comentários:

HM disse...

"Assim vai a universidade portuguesa e a tal geração que se diz a mais bem preparada de sempre, mas não consegue escrever uma frase sem dois erros ortográficos, não sabe distinguir tempos verbais, comete erros de concordância, desconhece a sintaxe básica e domina um léxico que não ultrapassa o de uma simpática catatua caseira."

É pena é que essa geração é que vai ter de "dar ao lombo" para pagar a sua reforma a daqui a uns anos...

TMC disse...

Não me importa que o Miguel publique este comentário; pelo menos irá lê-lo.

Que agenda fútil do seu blogue é esta? Pensa que consegue mandar areia para os olhos das pessoas?

Nem uma palavra sobre o confisco cipriota?

Nem uma palavra sobre as previsões precisas do ministro das Finanças?

Não me apetece escrever mais. Também porque o vocabulário de 500 palavras é insuficiente para apodar as generalizações baratas que faz.

Xico disse...

Sou leitor assíduo do seu blog e gosto do que leio. Hoje não foi o caso. Criticar a menina pelo que diz e pelos erros, tudo bem; agora porque tem um "aparelhão" nos dentes ficou-lhe muito mal.

Combustões disse...

Xico
O aparelho está para o caso como o discurso dos "indignados" para o governo. Acresce que a menina burra falava com ares de catedrática, fazendo a rábula da "esclarecida" dando aulas aos ignaros. Por mim, bem podia ter um guindaste na cabeça, só lhe acrescentava graça.

Luís Palma de Jesus disse...

1. não vi a dra e tenho pena.

2. o tmc no seu 1º ai no Combustões foi directo ao assunto: o dono do blog deve mudar de agenda, já!

3. aqui em Évora também há muitos doutores. vestem capa-preta, gritam caralhadas e, vê-se, são doutores.