18 janeiro 2013

O palavrão blogosférico

Há quem julgue que o uso e abuso do palavrão reforça o timbre de incisão de uma sentença. Vejo aí pelos blogues florestas de calão e obscenidades que são instantâneo da queda da língua e da incapacidade de usar venenos e matracas de forma elegante. O domínio do português exige estudo, leitura, captação da inteligência da língua, coisa que se foi perdendo desde o século XVIII e logo substituída pela instituição do "falar difícil", do "falar académico" ou, para quem nem tal consegue, do falar rasca. No fundo, a blogosfera - ágora de todas as fúrias, indignações - substituiu às mil maravilhas a "cultura do café", outrora lugar para todas as raivas, maledicências e remoques. 
Há quem use a blogosfera para vazar ódio, há quem a tenha como sentina alternativa; há, ainda, quem nela consiga a supina ilusão de ser ouvido.

Sem comentários: