16 janeiro 2013

Irlanda e Portugal


A Irlanda prepara-se para dar por terminado o programa de assistência pedido ao FMI. A Irlanda está em vantagem sobre Portugal. Não teve uma revolução marxista que pôs em pantanas as instituições que alicerçam o Estado, não conheceu a cultura da rabujice e da indignação, não matou os industriais e os capitalistas nativos em nome de nacionalizações sacrossantas, não empandeirou a agricultura numa reforma agrária de terra-queimada, não usou os fundos europeus para jipões, montes alentejanos e férias nos trópicos, não teve uma constituição escrita por miudagem ignorante e radicalizada com vinte e tantos anos, não conheceu a fatal sucessão de Cavaco, Nogueira, Guterres, Barroso e Sócrates, não tem um PC e uma CGTP antediluvianos,  não tem um Estado que se confunde com os partidos, os amigos e as comanditas. Qualquer confusão entre a Irlanda e Portugal é mera coincidência.

4 comentários:

Conservador disse...

Também não teve um milhão de portugueses que vieram para a metrópole...
Também não têm uma dívida pública com o lastro da nossa...

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jorge.oraetlabora disse...

O tempo da escumalha (da direita, da esquerda e do meio...) que arrastou o País para o abismo há-de fatalmente acabar.
Esperemos que não venham longe os tempos em que os homens-bons venham a governar o País.

commonsense disse...

Tudo verdade. Além disso, tem ainda a vantagem de servir de colocação estratégica de empresas e investimentos ingleses e americanos inseguros de que a Inglaterra se mantenah na EU.