07 dezembro 2012

Hoje, 7 de Dezembro, dia da infâmia


Os norte-americanos chamam-lhe o dia da infâmia, evocando o ataque inopinado, sem declaração de guerra, arrasador e cobarde desferido pela armada japonesa a Pearl Harbor naquele 7 de Dezembro de 1941. À escala portuguesa desta era de trevas, de gente pequenina, raivosa, anónima, maledicente, invejosa, incapaz de um desabrido gesto frontal, numa palavra vingativa, a coisa fica-se pela destruição das reputações. É evidente que o país está cheio de ladrões, de corruptos, de marajás da impunidade - farta sementeira de décadas em que a justiça desapareceu - e que não há esquina, beco, vão de escadas ou dispensa onde gente absolutamente nula mas cheia de influências, amigos e padrinhos dá largas à paixão pelo dinheiro fácil, ou seja, dinheiro roubado aos cofres do Estado.
Hoje, as parangonas derramam a baba venenosa em Medina Carreira. Pudera, Medina Carreira tem sido ao longo dos anos o porta-voz da verdade. Diz o que outros, por medo ou por comodidade, se recusam pronunciar, ataca sem quartel a fulanagem da vida airada, despe os sofismas, arrasa os medíocres, diz ao povo o que lhe espera se perseverarmos neste aquário de ilusões. É MC uma assombração para o pessoal de Liliput, os palavrosos sem substância, os mentirosos compulsivos, a burguesia meia-tigela vinda do nada e que proclama os socialismos, as virtudes do Estado social, os direitos e quejandas mentiras, conquanto o dinheiro (que já não existe) continue a encher bolsos de amigos, parentela, irmãos de templo. Não sei se MC está ou não envolvido no tal Monte Branco, mas se o regime tivesse um pingo de vergonha - o regime é um Himalaia de corrupção - calar-se-ia.


3 comentários:

Pedro Leite Ribeiro disse...

Penso que se trata apenas de uma simples investigação a cargo da PJ. Uma referência a Medina Carreira encontrada em documentos de um suspeito e que teve de ser esclarecida. Desejo que o tenha ficado, de facto e definitivamente. Nestes tempos em que, em relação aos palavrosos do costume e aos que aproveitam para aparecer, só não posso ter os dois pés atrás porque perderia o equilíbrio, Medina Carreira é ainda uma das poucas âncoras que me impedem de me tornar, de tudo e de todos, totalmente desconfiado e descrente.

jorge.oraetlabora disse...

Podem arranjar desculpas "oficiais" para a devassa à casa de Medina Carreira, mas a mim o que me parece é que foi um "aviso" dos rapazolas do governo a um Homem que lhes provoca grande desconforto por não ter medo de proclamar a verdade...
A Medina Carreira não o dobram estes imbecis, incompetentes e imaturos, que andam a brincar aos governos... !

José Domingos disse...

Os americanos, sabiam do ataque, era a unica maneira de entrarem na guerra, unir os americanos, para a causa unica, do erguer da usa. Os japoneses cairam na armadilha, não desconfiaram da esmola. O Prof Medina Carreira, tem o "mau " hábito de descascar no sistema, e os moços de recados do pantano, reagem mal, dão-se mal com a verdade.
Como este povo de labregos, está convencido que vive numa democracia, não acredita na censura, nos fretes, que os jornalecos, cá da pocilga, arrastem nomes de quem não lhes interessa, para a lama
Existem Homens (MC),que não mereciam viver neste paiszeco.