14 novembro 2012

A batalha do rail


Hoje, na linha de Sintra, vários troços de carril foral levantados para impedir que os trabalhadores - ou seja, aqueles que não são delegados sindicais, que vencem com ou sem greve - chegassem aos seus lugares de trabalho.

1 comentário:

Isabel Metello disse...

É uma vergonha! Conheço muito bem o perfil nada saudável, Miguel, e até me está a apetecer caricaturá-lo em BD- um horror! Claro que haverá Pessoas Boas a ir na onda, mas a cúpula é um pavor! Estão mesmo a afundar o país: (a) os estivadores, com salários muito acima da média (milhões de € deitados ao lixo com mercadorias a apodrecer nos cais (prejuízos enormes para os produtores, descredibilização dos mesmos e de Portugal no exterior, quando temos todas as condições para termos grandes portos, com uma costa tão grande e rica!; (b) os pilotos da TAP, com salários muito acima da média (ainda me lembro das regalias que tinham (não sei se ainda as têm de viagens de graça para toda a família à custa do Estado...); (c) os maquinistas, com óptimos salários...Estão a afundar, cada vez mais, a Economia do país, naufrágio perante o qual as hienas do costume se babam, pois estão-se borrifando para os pobres, para os desempregados, para a miséria, pois têm, nalguns casos, tachos até dinásticos! Usam a miséria dos outros, instingam ao ódio de vândalos que apedrejam a polícia e até um cocktail molotov mandaram e ainda se fazem de vítimas quando, depois de horas de Paciência de Santos, a Polícia carregou naturalmente! Perguntem a um PSP quanto é que ele ganha para estar ali a arriscar perder uma vista, ficar gravemente ferido, morrer- muito menos do ue esses instigadores de bastidores...destilam ódio pelos poros!