16 outubro 2012

Um mistério do PC


Só tinha um comunista de estimação - Baptista Bastos, um senhor - mas desde há alguns meses tenho seguido com atenção as intervenções parlamentares e prestações televisivas de Honório Novo. Bom domínio do português, incisivo e excelente tribuno, culto, com chama e sem aquela esfarrapada e miserável conversa de testemunha de jeová que faz do PC coisa imprestável e abracadabrante. Com a defecção dos "intelectuais orgânicos" de outros tempos - no tempo em que o marxismo dominava e intimidava - o PC transformou-se em coisa digna da maior piedade. Honório Novo oferece outra imagem. Estranho que tal homem, muitíssimo superior a qualquer dos seus pares, quiçá o melhor deputado da esquerda, não ocupe o lugar de secretário-geral do PC. Com ele, estou certo, esse equívoco que dá pelo nome de Bloco de Esquerda desapareceria da paisagem portuguesa. Para mais, Honório gosta de gatos. Eu também.

Sem comentários: