13 outubro 2012

Arménio Carlos versão cacheado


Maratonista, pedestrianista, marchista, Arménio Carlos não sossega. O sucessor de Carvalho da Silva deu três passos atrás na imagem do sindicalista europeu, vestiu a roupagem cro-magnon do sindicalismo à Ned Ludd (o acicatador da destruição das máquinas de fiação de Arkwright) e aparece nas pantalhas em todos os telejornais. A linguagem violenta, a falta de maneiras, o ódio que tresanda de todos os seus discursos - paupérrimos na forma, insignificantes no conteúdo - são preciosa ajuda ao governo, mas também para todos quantos, esquecidos do velho PC de 75, têm em Arménio o exemplo acabado do pior bolchevismo. Hoje, em Setúbal, apareceu com o novo visual. O penteado cacheado fica-lhe a matar.

2 comentários:

Pedro Botelho disse...

Mas que badalhoquice. Sempre, sempre, a fazer pouco do bom povo maltrapilho.

Porque é que vocês não estabelecem o trono de D. Duarte III, o Bigodaças, na ilha do Corvo (90 eleitores) onde ganha sempre o Partido Popular Monárquico? Até o nome da ilha é giro e dava para fazer mais um filme do tipo King Kong ou Conde Zaroff...

Francamente...

Pedro Botelho disse...

Este comentário era para o post seguinte. As minhas desculpas pela colocação errada.