06 outubro 2012

António José Seguro chega à Nova Monarquia...28 anos depois

O Secretário-Geral do PS, António José Seguro, anunciou ontem que o seu partido vai defender um novo sistema de representação mista estribado em círculos uninominais, candidaturas autónomas e respeito pela proporcionalidade demográfica das regiões. O líder socialista não recebeu a revelação numa qualquer noite de San Casciano; fez mão-baixa do programa da Nova Monarquia, redigido e apresentado ao país em Outubro de 1983, mas então logo rotulado de "extremista" pela partidocracia. Não me incomoda a subtração dos direitos autorais; incomoda-me tão só o notável atraso com que a oligarquia adere à ideia, adesão postiça, oportunista e ditada mais pelo instinto de sobrevivência que pela aceitação das premissas do manifesto da Nova Monarquia.
Para o comprovar, a demonstração documental que oferece à Nova Monarquia a paternidade das propostas socialistas. A NM esteve, neste e noutras soluções, na vanguarda. Cometemos, então, o terrível crime de pensar 30 anos antes aquilo que hoje todos subscrevem. Infelizmente, alguns dos mais furiosos inimigos da Nova Monarquia eram monárquicos. O movimento monárquico perdeu, com a destruição da NM, 30 anos de autoridade. Nunca é tarde para recuperar o tempo perdido.

 In: O Globo, 6 de Março de 1984


In: O Correio da Manhã, 13 de Março de 1985


In: O Correio da Manhã, 24 de Julho de 1987


Entrevista de Miguel Castelo-Branco a O Diabo, Janeiro de 1988

Sem comentários: