02 setembro 2012

O único que Estaline temia


Acabada de sair, a nova biografia de Zhukov, despida de mitos e propaganda, revela um militar duro, tenaz, obstinado e até brutal no exercício de funções, mas também um homem que na vida social se pautava pela afabilidade e um interesse indisfarçável pelo Ocidente. Zukhov soube subir a pulso e sobreviver num dos mais violentos, imprevisíveis e caprichosos regimes do mundo contemporâneo. Invejado pelo seu génio táctico, temido por Estaline, foi chamado para salvar a Rússia do colapso em finais de 1941 e manteve, como a nova documentação disponível revela, uma independência digna de registo numa sociedade fanatizada e privada do mínimo exercício crítico. Típico soldado feito general, filho de camponeses e homem de poucas letras, não era destituído de inteligência política. À morte de Estaline, coube-lhe dirigir o golpe palaciano que liquidou Beria, protagonismo que pagaria caro, dez anos mais tarde, com o retorno ao poder dos altos burocratas estalinistas liderados por Brezhnev. Um estudo importante que revela a existência e permanência de uma força de contenção à propalada omnipotência de Estaline.

Салют Москвы

Sem comentários: