07 setembro 2012

As medidas de urgência que gostaria de ver tomadas pelo Primeiro-Ministro

1. Fim do regime dos quadros superiores dirigentes do Estado oriundos das máquinas partidárias, substituindo-o por funcionalismo público de carreira;
2. Denúncia de todos os contratos de assessores exercendo funções nos ministérios, secretarias de Estado, parlamento, câmaras municipais, institutos e fundações e sua substituição por funcionários de carreira;
3. Redução do parque automóvel do Estado, circunscrevendo-o a titulares ministeriais e secretários de Estado;
4. Passagem à reserva dos oficiais superiores do Exército, Marinha e Força Aérea e limitação do quadro a seis generais ou brigadeiros;
5. Anúncio da abolição de todas as regalias e ajudas de custo auferidas por titulares de cargos públicos;
6. Redução dos vencimentos de deputados e presidentes de câmara;
7. Anulação, com efeitos imediatos, de reformas concedidas a ex-deputados e ex-governantes, com contagem de tempo de serviço e respectiva conversão ao regime geral de pensões e reformas;
8. Fim do regime de acumulação de pensões;
9. Nacionalização de todas as PPP em obras já realizadas;

Se o Primeiro-Ministro o fizesse, estou certo que teria nas ruas multidões a perder de vista a aplaudi-lo. Os grandes homens revelam-se nos momentos difíceis.

11 comentários:

João Amorim disse...

O Miguel, mesmo assim, está a ser comedido.

Duarte Meira disse...


Caro Miguel Castelo Branco:

Ainda bem que deixou aqui uma amostra de elementares, muito simples e muito precisas medidas de elementar bom senso racional e patriótico. Tal amostra pode bem servir de referência para avaliações futuras.

Era bom que Passos Coelho fizesse metade disto. Não fará.

Os motivos são tragicamente simples. Passos Coelho não pode fazê-las, porque Passos Coelho não pode nada. O sistema transcende-o e ele é um mero comissionado gestor dele. O caso não é só português. Trata-se de pôr nas televisões uns bonecos bem apessoados e bem falantes (Blair, Obama...) para o povo votar neles e julgar que votantes e votados podem alguma coisa.

O outro motivo é conexo: bonecos destes não poderiam nunca ser "grandes homens".

jorge.oraetlabora disse...


Caro Miguel,
medidas sensatas as que aponta. E estritamente necessárias.
Porém, tal não cabe na cabeça do PM que acaba de proferir o anúncio de mais medidas demolidoras da já periclitante condição económica dos pobres e remediados deste (digo, intencionalmente, "deste", e não "nosso" País).
Será que ninguém explica ao PM que não pode continuar a fazer sangrar o País, que Portugal não se aguenta com medidas desta natureza, impostos sobre impostos, directos e indirectos, obrigações e mais obrigações fiscais e semelhantes, sobre quem trabalha e só ganha para ir sobrevivendo...?!

E que há que cortar a sério na despesa pública... mas a sério mesmo…!
A noção de contenção da despesa pública, por parte destes imberbes e desmiolados governantes, fica bem assinalada com uma das últimas medidas, traduzida na compra de nova frota de carrinhos para os srs. da política: foram apenas 500…! Isto raia o cúmulo da pouca vergonha, do despautério absoluto !!!

E para quê tantos deputados, ignorantes e incompetentes, na Assembleia...?! Que elaboram e aprovam leis injustas, iníquas, como a do aborto, casamentos (?!) gays e porcarias semelhantes?! Por que não cortar no número desses nababos ineptos, autênticas excrescências de uma pseudo-democracia…?!

Não há dúvida de que a maçonaria está a conseguir o seu pérfido desiderato: a destruição da Família e a consequente queda de Portugal…!
Só a reinstauração da Monarquia pode salvar o nosso Portugal!

Conservador disse...

Só a 9. tinha impacto económico.
O resto eram uns milhões que são uma pequena parte da dívida que já consumimos (57 mil milhões) desde há um ano e meio...dos 76 mil milhões quue nos deram sob juro legítimo...; logo vamos pedir mais ...
O resto é para alegrar a malta voraz de direitos e desejos...
MEDIDA de LONGO PRAZO:

todo o cidadão ao levantar-se deve dizer VERDADE e PONTUALIDADE (cumprir os acordos ponto por ponto e ser pontual, nem minuto antes nem depois)

Curto Prazo:

Reduzir professores e escolas; reduzir hospitais e médicos; extinguir empresas de transporte público (e nao vendê-las, acabar com elas), reduzir as câmaras às capitais de distrito, reforma aos 72 anos; -----------------------Por exemplo.
Impopulares? Claro. Foi muita coisa popular que nos trouxe até aqui: não há contribuintes para tanta treta estatal.

ALCAIDE disse...

Espere lá...
Já reparou que todas essas medidas são inconstitucionais ??? ou violam contratos blindados ...

ALCAIDE disse...

Espere lá ...
Já reparou que essas medidas são inconstitucionais ??? ou têm contratos blindados ...

Bonaparte disse...

Conservador? tais medidas seriam, de certeza, as aplicadas pelos comunistas tomassem o poder.

Bonaparte disse...


Reforma aos 72? uma injecção atrás da orelha, caro conservador!

Eduardo Saraiva disse...

Tomei a ousadia de "roubar" este post e colocá-lo no FB.

Josephvs disse...

72 anos é realmente ser-se conservador :)
Um pais q vai perder 1 milhao de habitantes nos proximos anos. (nao sera para a emigracao hehehe )

A eutanasia (vai ter q ser ser implementada)...

Mouse disse...

Caro Miguel,

sou militar e gostaria de saber no que se baseia para afirmar que oficiais superiores deveriam ser passados à reserva e os oficiais generais deveriam ser apenas seis.

Obrigado pela resposta desde já, e os melhores cumprimentos.