15 setembro 2012

A legitimação dos betas



Eis o novo presidente do México, a 14.ª potência mundial, instantâneo da tirania do atrevimento semi-letrado que tudo destrói. O problema é grave: a impreparação aplaudida, a promoção da mediocridade, a demissão da inteligência estão a matar lentamente as democracias. Peña Nieto, envolvido em sucessivos escândalos de corrupção, destruição de património histórico e fraude foi eleito pelo povo-rei, ipso facto lavado, legitimado, fora da alçada das leis. Ouvi-lo concita riso, desdém e piedade, mas provoca medo - medo pelo imenso poder que deterá ao cingir a banda presidencial. Não nos surpreendamos. O fenómeno não se circunscreve ao México. Também a Europa - outrora rainha das artes, das ciências e do saber - está entregue a gente do mesmo jaez. Vivemos, sem dúvida, tempos de agonia civilizacional. 

1 comentário:

jorge.oraetlabora disse...

Caro Miguel,
agradecido por nos ter oferecido esta peça hilariante!
O problema é que isto, além de ridículo, é patético e perigoso...
O mundo ocidental a afundar-se cada vez mais...!
Quando voltarão os Estadistas a governar as Nações...?! Espero que esta minha interrogação não seja uma pergunta retórica...!