30 agosto 2012

Pirosa


Depois da cara-metade de Obama, prontamente considerada a mais bela do mundo, da inqualificável Clinton desculpando os pecadilhos do Bill, a spinster Romney, de vermelhão Mórmon, discreteando sobre as intimidades do marido. A América é isto, um Lesoto com bombas atómicas, um Mónaco do tamanho da Europa, um Belize com um projeto planetário. Mete medo e dó. Eles não são, decididamente, o Ocidente.

4 comentários:

Lionheart disse...

É um sistema que já não é modelo para ninguém, realmente. A qualidade dos actores políticos está cada vez pior. A influência da direita religiosa no Partido Repúblicano é um "cancro" na democracia americana. Não por ser religiosa, mas por ser completamente estúpida, ignorante e fanática. Mas é preciso perceber que se trata de uma reacção, mesmo que radical, à decadência de valores que emana de Hollywood e da cultura popular americana em geral. Uma porno-chachada que empesta tudo, desde o cinema à televisão, ou à "música", tornando-se "mainstream" e depois aqueles "tarados" do Sul reagem da maneira que se vê, com um radicalismo oposto. O cinema americano está uma miséria, por causa dos adolescentes serem o público que vai mais ao cinema e por isso mercado está direccionado para eles. A música está paupérrima, idem. Salva-se a televisão que apesar de cheia de "reality shows" cada vez mais deploráveis, ainda vai tendo espaço para algumas séries de qualidade.

A economia não arranca. O Obama gastou uma enormidade para reanimá-la com resultados absolutamente mediocres, porque o desemprego continua altíssimo para os padrões norte-americanos. O resultado é que os EUA não crescem o suficiente para pagar a dívida externa, e assim esta caminha para níveis incomportáveis. No entanto, se eles apertarem o cinto vão com toda a certeza ter uma recessão, daí o dilema. Por um lado sabem que o ritmo de endividamento não é sustentável. Por outro não querem pagar o preço de ter uma recessão. Mas também sabem que um dia destes os mercados decidem por eles. Julgam-se muito finos para viver dentro das suas possibilidades, pois a austeridade é só para a "little people", como os gregos, ou os portugueses.

Só que a indisciplina fiscal norte-americana gera inflação no Terceiro Mundo, o que por sua vez aumenta a fome e a pobreza. O que é que a esquerdalhada tem a dizer sobre isto? Foi para isto que torceram tanto pelo "flop" que ocupa a Casa Branca? Para que o consumidor americano mantenha o nível de vida de alarve, o africano tem de se revoltar para não perder o direito ao pão. Que "ironia".

Quem quer depender de uma política externa errática, dependente de ciclos eleitorais cada vez mais curtos e determinada por cálculos políticos eleitoralistas internos? Não admira por isso que os EUA sejam tão pouco confiáveis e deixem cair os seus aliados por dá cá aquela palha. Não é a Democracia, é a instabilidade. São demasiado instáveis, imperialistas de clima bom.

Quanto à contenda eleitoral, apesar de tudo é preferível uma vitória de Mitt Romney porque a sua prioridade é recuperar a economia e controlar o défice, apostando no que, apesar de tudo, foi sempre o espírito que fez com os americanos fossem trabalhadores e empreendedores: a auto-confiança e a independência económica. O outro é um "José Sócrates" mulato. Uma figura de culto, para gente fraca de cabeça, mas que se conseguir mais um mandato vai rebentar com aquilo.

Eles não têm dinheiro para políticas redistributivas. Pensam que têm, mas não têm. E depois vemos o desempenho de empresas que são baluartes da economia americana e vê-se que têm mais "gordura" do que "músculo". A entrada em bolsa do Facebook foi um fracasso rotundo e é uma questão de tempo até aquilo dar o estouro, porque já ninguém acredita na propaganda. A apple está a quebrar, pois os seus produtos têm cada vez mais concorrência e a moda dos iPad's, por exemplo, começa a cansar. Quem queria ter um já o tem e não pode andar a comprar outro todos os anos.

Não há grandes estrelas na "corporate America", e sendo assim também não pode haver uma economia pujante, por muito que o outro pense que os ricos vão sustentar a "política" dele.

cardo disse...

"A América é isto, um Lesoto com bombas atómicas, um Mónaco do tamanho da Europa, um Belize com um projeto planetário. Mete medo e dó. Eles não são, decididamente, o Ocidente."

Nem todos, é claro: Down with Democracy.

Conservador disse...

Os EUA , esses estúpidos que arrancam prémios nóbeis, que a maioria dos cidadãos não se forma confiscando os outros, cujas universidades prenchem 14 lugares das vinte melhores do mundo, em que gente estrangeira enriquece..., em que dezenas de nações se sentem representadas, enfim...

Bic Laranja disse...

Projecto. Projecto.
Cumpts.