20 julho 2012

José Hermano Saraiva R.I.P.


Há cinco anos escrevi isto sobre o Professor. Não tiro uma vírgula. Morreu um amigo do povo e um patriota, categorias quase extintas em tempos de burguesiazinha desmiolada e globalizada (parvalhizada) e de vende-tudo. Saraiva vai fazer falta ao país. "O Professor Saraiva vai fazer-nos muita falta. Quando um dia nos deixar, o país ficará decerto mais pobre, mais cinzento, mais entregue aos barbichinhas de quatro dias e sorriso idiota. O Professor Saraiva é petulante. Adoro a petulância, adoro o orgulho e o espectáculo. A direita não conhece o meio termo. Os direitistas ou são extremamente asnos - casmurros, ignorantes e odiosos - ou extremamente dotados. Aliás, atrevo-me dizer não existir grande inteligência à esquerda, com a agravante de alguma dessa auto-proclamada, pretendida ou chamada inteligência à esquerda ser, de facto, uma direita escondida ou, pior, aquela estupidez ilustrada que nos aflige e macera de suplícios nas universidades e no colunismo opinativo. Ponto final". Naturalmente, há sempre quem garatuje imundícies sobre Hermano Saraiva, por antonomásia "o Professor". Outros, igualmente baixos, encostam-se à vulgaridade. Afinal, estão certos. Se o mundo fosse só constituído por larvas e fungos, seria realmente aborrecido.

3 comentários:

Eduardo Saraiva disse...

Subscrevo

margarida disse...

Concordo!

António Bettencourt disse...

Paz à sua alma.

A melhor homenagem que li hoje:

http://ericeiranorte.blogspot.pt/2012/07/jose-hermano-saraiva.html