05 junho 2012

Secessio plebis funchalensis


Ontem, não havendo Aventino, os deputados da Madeira montaram assembleia na rua. Entre eles, um padre, comunista, a perorar sobre liberdade. Sei que a assembleia da RAM é coisa poucochinha. Aquilo não são deputados; talvez uma coisa entre uma assembleia municipal e uma reunião de condóminos. Se a AR se deve envergonhar pelo que tem portas adentro, na Madeira aquilo só se devia reunir de madrugada, de vez em quando, em noites de insónia. Esta gente ainda não meteu na cabeça que estes arremedos de democracia latina, com turbamulta que mal sabe ler, é o maior insulto à liberdade e à soberania popular. Que saudades do bom e velho liberalismo e, porque não, dos concelhos medievais.

1 comentário:

Isabel Metello disse...

Que saudades da sociedade cosmopolita colonial Moçanbicana!