25 junho 2012

Não discutimos o hino

O Estado Sentido teve a feliz ideia de lembrar a origem monárquica do hino nacional e o respeito que nos merecem os símbolos nacionais. As discussões de natureza himnológica não cabem, decididamente, no horizonte das preocupações daqueles que pela razão e pelo afecto advogam a restauração da monarquia; corrijo, a restauração de Portugal e a implantação de uma nova monarquia. A marcha de Keil é um apelo vibrante ao ressurgimento, interpelando os portugueses, exortando-os às armas e ao recobro do orgulho. Só me lembra o poema de António Manuel Couto Viana:

Vem ser manhã na noite sepulcral !
Vem expulsar de nós a névoa do presente
E acorda Portugal !



1 comentário:

Joao disse...

Restauração de Portugal. É isso mesmo.