13 junho 2012

Modas


Anúncio da Bertrand, nos anos 30, com um busto mussoliniano

Disse-me um amigo francês, publicitário de profissão e que não via há 14 anos, que votou Marine Le Pen nas últimas presidenciais. Fiquei estupefacto, pois o Bernard era um declarado seguidor de Mitterrand e até contava velhas estórias resistencialistas do avô, dos tempos da ocupação alemã. Esquecia-se, tal era o arrebatamento, que Mitterrand era petanista medalhado no preciso momento em que o seu avô fazia resistência. Talvez, quem sabe - as pessoas contam as suas pequenas histórias sempre de forma diferente - a resistência do avô se limitasse a ouvir as emissões da rádio Londres.
Ontem, morreu Maria Keil, a talentosa ceramista. Era comunista, dizia-o e todos o sabiam, mas foi também colaboradora de António Ferro e do chefe do SNP recebeu um prémio nacional. O mesmo se passa em Itália. Cada artista plástico, realizador de cinema, jornalista ou escritor que morre já entrado nos anos foi, esteve próximo, trabalhou para ou esteve ligado ao regime fascista. São modas, inclinações, oportunidades irrecusáveis, oportunismo, vontade de estar junto do poder. As pessoas são, na generalidade, muito pouco interessadas na política. Querem ser reconhecidas, querem que as estimem pelo que valem e estão sempre dispostas a seguir o rumo que os acontecimentos indicam. O estar bem com o tempo tudo permite. Anteontem salazaristas, ontem comunistas ou socialistas, hoje seguidores do governo, amanhã, quem sabe, incondicionais do general que por aí virá mais tarde ou mais cedo.

Trio Lescano. Colei che debbo amar,1936

5 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Mitterrand jamais esquecei o maréchal Pétain. Foi o primeiro presidente a colocar coroas de flores no seu túmulo.

Duarte Meira disse...

«... O general que por aí virá»?... Na época em que a burocracia tecnocientífica prepara a Rede do governo cibernético mundial, e as "converging technologies" ensaiam a criação do sucessor do sapiens sapiens ?...
O Miguel vive ainda nos séculos 19 e 20. Nesta fracção europeia do condimínio imperial trilateralizado, não haverá mias lugar a saldanhadas nenhumas!

Alano da Rocha disse...

General, general... oxalá! Antes que a Nação Portuguesa (ainda haverá?) se afunde em definitivo...!

Bic Laranja disse...

Eu não sabia que era comunista. Fazia alguma diferença?
Cumpts.

Marina Seminova disse...

Em França so se encontra netos de resistentes. Mas não esqueço do livro de Henri Amouroux, "40 millions de pétainistes"...