25 junho 2012

Ernstfall: à espera de Dom Sebastião


Fotos colhidas do incontornável Lisboa SOS. Acabaram os cartões de crédito, os carros poligrupo foram apreendidos pelos bancos, do subsídio de férias subsiste uma vaga memória, já não há vôos "vá agora e pague no próximo ano" para as repúblicas dominicanas e maceiós. Calaram-se, também, as goelas  de que nos lembrava, minuto-sim, minuto-não, que "antigamente" havia fome, o velho botinhas puídas tinha galinhas em S. Bento, o português contentava-se com uma sopa de nabiças (nossas), uma rodelinha de chouriço (nosso) e um pedaço de pão (de trigo português). Esta gente sentia-se rica, "europeia" e "branca". Finalmente, acordámos e estávamos na miséria. Agora que Maceió está no fim do mundo e à Costa da Caparica não se pode ir a pé, pois que venha o Terreiro do Paço. Bela praia, a sonhar com Dom Sebastião que regressará de espada flamejante, com 40 graus à sombra.


1 comentário:

Nuno Castelo-Branco disse...

...e como se vê, a areia é branca e fina. Imaginemos a Lisboa antiga, antes dos aterros. Era um perder de vistas de praias.