11 junho 2012

Apartheid sanitário ou estupidez cavernícola

O confrade Portugal Contemporâneo questiona os seus leitores, creio de forma retórica, se O SNS deve garantir acesso gratuito aos residentes estrangeiros ilegais. Confiado na humanidade das pessoas e naquele mínimo sem o qual nos transformamos em selvagens, entendo a pergunta como um desafio à consciência de cada um e exigindo vibrante SIM. Qualquer ser humano é merecedor da protecção, da atenção e de tratamento, seja um clandestino sem-papéis, um apátrida ou, até, um criminoso. Verifico, com pesar, que há 77% de energúmenos aos quais agrada a ideia de deixar um homem a esvair-se em sangue na berma da estrada ou uma parturiente numas escadas só por serem residentes ilegais. Eu pago impostos, e muitos, e daria de bom grado o meu dinheiro para salvar a vida de um imigrante ilegal, fosse quem fosse, viesse de onde viesse. Há coisas com as quais não se negoceia, sobretudo com a maldade e mesquinhez dos bípedes implumes.

Sem comentários: