18 maio 2012

Quando é que os deputados vão para o desemprego?


Debate no Parlamento sobre o desemprego. Discursatas mal lidas e monocórdicas, com a elegância de desabafos na Ginginha do Rossio, gravíssimas falhas de dicção, de sintaxe e concordância, um português vão-de-escadas, umas figuras pouco menos que inexistentes; eles na pragmática do fateco cor-de-rato cinzento, elas a brincar às senhoras; todos de uma pobreza confrangedora deslustrando o sistema representativo e a democracia. Ouvi um homenzinho do PC, que Demóstenes condenaria às galés, mais uma serigaita do BE, uma máquina canora com a elegância de um piaçaba e uma provinciana Barbie envelhecida do PSD metida num embrulho rosa-choque acabado de comprar na loja do chinês da esquina. 
Assim não dá ! O bom do ministro Álvaro até corava de vergonha, por ter de descer tão baixo para ouvir o Povo-Rei. Assim não dá ! Às vezes até tenho ganas de ser ordinário.
A Assembleia só voltará a merecer o respeito quando as lideranças partidárias estabelecerem critérios de qualidade nas listas para deputados. Infelizmente, a preferência é dada aos mais ignaros, aos mais seguidistas, aos mais incapazes. Por outro lado - na AR, como nos ministérios - deviam ser constituídas escolas regimentais destinadas à formação de quadros. Gente que não sabe redigir, desconhece o português básico e não possui a mais chã formação cultural, não pode desempenhar funções. Lembro-me de diplomatas portugueses cuja ignorância ultrapassa a mais liberal das condescendências, como lembro Directores-Gerais, chefes de gabinete de ministros e secretários de Estado absolutamente inclassificáveis.

4 comentários:

Bmonteiro disse...

Exactamente a minha reacção.
Sobre a loira PSD, a vociferar contra o que recebeu do PS, ainda.
Esta, também não fazia ideia, há um ano, do estado do Estado PS.
Uam desgraça, o circo de S. Bento.
Nada a fazer.

margarida disse...

... foto inacreditável...; anda tudo às avessas e, a par com o respeito, foi-se o decoro. Abrenuncio!
Ele tem de haver limites para o abastardamento da apresentação!
Quanto ao relatado, somos confrontados todos os dias com isso, para nosso total embaraço e absoluta humilhação.
Por todos esses factos (e outros, tantos outros...), descreio em absoluto na recuperação deste País.
Haveremos de morrer de desgosto, vão ver...

pie disse...

Representa bem quem a elegeu.

Tot disse...

:-)