20 maio 2012

Os Danieis Oliveiras e Claras Ferreira Alves da desocupação espevitada


O Daniel Oliveira, naquela pândega dominical que é o Eixo do Mal, escorchou violentamente Passos Coelho, fazendo eco de um dito que se convencionou ter sido cunhado pela vox publica, segundo o qual Passos nunca trabalhou. Não conheço o percurso do Primeiro-Ministro - se trabalhou ou não trabalhou, se estudou, se não estudou, se foi alavancado por amigos, se recebeu o patrocínio de uma daquelas redes que são, à esquerda e à direita, o cancro deste país - mas espanta-me que o Daniel fale com tamanha arrogância. Olho para a sua biografeta e ali está, sem tirar, aquilo que faz de Portugal e do regime um caso espantoso de habilidades trepadoristas. Afinal, o Daniel é igual. Dir-se-ia que o regime foi feito por todos os desocupados para todos os desocupados. O Daniel não é estúpido nem ignorante, mas não deixa de ser igual a essa imensa legião de gente - o tal 1% da oligarquia - que quer, manda e pode. O mesmo diria da Clara Ferreira Alves, que andou pelos jornais, foi parar ao Prémio Pessoa e pouco mais.
O Daniel e a Clara não começaram a trabalhar aos 15 anos, como eu, não tiveram que passar por cinco ou seis empregos para pagar os seus estudos e a sua liberdade. Olhem, Daniel e Clara, eu trabalhei em livrarias, dei aulas a ciganos, fui militar durante seis anos, trabalhei numa tipografia na Alemanha, dei aulas no secundário e na universidade, percorri o país a inventariar património bibliográfico e arquivístico a recibos verdes, fui a concursos públicos sem cunhas, abri uma pequena empresa, tirei um mestrado e um doutoramento sem favores, escrevi meia dúzia de livrinhos.
"Eles" não tiveram tempo. Andaram, sempre, em movimentos e partidos de onde pingavam situações de oportunidade. Que obras escreveram ? O que ficará deles? Enerva-me ouvir de instalados sem exemplo aulas de moral. Pronto, fica o desabafo.

7 comentários:

Tot disse...

:-)

André Miguel disse...

Grande posta.
Já somos dois.

Alano da Rocha disse...

Parabéns à Lina Vedes, por mais um belo texto, cheio do encanto dos tempos dos anos 40/60 ! Como se vivia em paz e harmonia!

Agora, é o que se vê... e se sente! Agressão a todos os níveis - desde a física à psicológica, à visual... Parece que estamos numa sociedade gerida por loucos...!
Falta de respeito absoluto pelos mais velhos, pelos educadores, pelos professores... pelos seres humanos…! Quando acabará isto...?!

Bem sei que muitas personagens da vida pública dão péssimos exemplos (alguns deveriam estar a cumprir penas de prisão rigorosas, tais os crimes cometidos!) - e, claro, como podem exigir respeito, se prevaricam a todos os níveis...?!

É imperioso voltar aos bons costumes. Para isso, será necessário mudar muitas estruturas da Educação, e do próprio Estado, onde se enquistaram hábitos e orientações torpes...
Não percamos, porém, a esperança! As necessidades e a razão hão-de ditar essa reviravolta por que muitos já anseiam!
É preciso voltarmos a ser um País civilizado!

Alano da Rocha disse...

Pede-se o favor à direcção de "A Defesa de Faro" de, se possível, proceder à mudança do sistema de activação do envio dos comentários, pois os caracteres são, por via de regra, pouco perceptíveis e dificilmente se consegue enviar um comentário à primeira...
Não haverá algo de mais fácil? O sistema actual é desmotivador... e arreliador...
Por outro lado, a obrigatoriedade de abrir uma conta no google é, de igual forma, desmotivadora, pela perda de tempo que ocasiona.
Parece-me que o sistema anterior era bem mais prático e facilitava a comunicação com "A Defesa".
A intenção deste comentário é tão só tornar mais fácil a troca de opiniões entre farenses (e outros cidadãos) a propósito das questões mais candentes da cidade.
Agradecido

Alano da Rocha disse...

Por lapso grosseiro (fácil de detectar) os 2 últimos comentários, por mim assinados, foram enviados para este blogue, quando, na verdade, se destinavam a outro.
Peço desculpa ao dono do blogue.
Alano da Rocha

skeptikos disse...

E o pior é que deste tipo de composto orgânico (estrume) que é toda esta gentalha/clientela bem instalada e cheia de direitos, só se desenvolvem fungos parasitas, nada mais!

skeptikos disse...

E o pior é que neste composto orgânico(estrume) que é toda esta gentalha clientelar bem instalada e cheia de direitos, só se desenvolvem fungos parasitas e ervas daninhas, nada mais!