04 maio 2012

Monstrinhos de hoje






Algumas das mais destacadas faces da parvalhização. O agitador do mercado de ideias e micro-filósofo Bernard-Henri Lévy, aliás BHL, mais conhecido por Bazar Henri-Lévy. Bazar Henry-Lévy investiu todo o seu potencial na justificação da guerra da Líbia, quiçá o mais degradante episódio da intriga internacional desde a Guerra do Chaco, inventada por um tal Basil Zaharoff. Bazar está dada vez mais parecido com "Bernie" Madoff (um investiu em especulação financeira, outro no negócio da especulação para-filosófica) e ambos lembram DSK - que foi ejectado por Sarkozy na corrida às presidenciais mediante ignóbil expediente - e, porque não, o sinistro Soros, especialista na destruição de economias. A novíssima galeria teratológica não se limita, decididamente, apenas aos Bin Ladens, aos Joseph Kony's,  Kim Jon Un's e Ahmadinejad's. A tirania do dinheiro sem pátria, da amoralidade técnica, do jogo da especulação e do ódio a tudo quanto lembre a riqueza e diversidade da espécie humana é um perigo global. São estes, claramente, os homens que justificarão o nascimento de novas tiranias. Destruíram o velho capitalismo, transformaram o Liberalismo em justificação para a mais desenfreada pauperização, feriram de morte as democracias. Se gente desta não for detida a tempo, amanhã teremos novos Hitlers e novos Estalines um pouco por todo o lado. São estes, pois, os maiores aliados dos totalitarismos que despontam.

2 comentários:

José Maia disse...

Sempre os mesmos "narizes"

Daniel disse...

Não se apoquente que para esse artolas do BHL já há um belga a tratar-lhe da saúde. Há também um vídeo que compila as restantes 6 vezes com que levou com uma tarte na tola, mas o meu francês não me leva tão longe no Youtube. Talvez possa descobrir. Vale mesmo a pena/

Cumprimentos,
DSC
http://www.youtube.com/watch?v=jlG-GVNIZ94