16 maio 2012

Hollandismo tremelicante


O novel presidente já apostatou duas vezes antes que o galo cantasse. Encheu-se de atrevimentos, apostrofou Merkel, mas lá foi humilde, suplicante, quase patético beijar-lhe o anel. Lembrou Ferry e uma das fracturas aqui já referidas há tempos, para logo de imediato pedir desculpas e lembrar a ilegibilidade parcial dos escritos e discursos do pai da escola laica
Vivemos numa época tenebrosa, de tolos para tolos, em que o fanatismo, o proibido e o tabu tudo dominam. Se a figurinha hollandesa tivesse tido tempo para ler - não leu nem estudou, pois vive derrancado na politiquice desde que lhe despontou o buço - saberia que metade das bibliotecas teriam de ser lançadas ao expurgo do fogo purificador. Cicero iria para a pira, assim como Tomás de Aquino, Lutero, Diderot, Bacon, Voltaire, Twain, Emerson, pois todos esses marcos do pensamento escreveram coisas hoje tidas por heréticas a respeito dos judeus, do género e das raças. 
Ouvi em tempos da boca de uma furiosa pseudo-académica americana uma afirmação que, fosse pronunciada por Goebbels, encontraria de imediato um coro de indignados e uns quantos vigilantes pedindo a aplicação de leis celeradas. A bípede dizia com a máxima segurança que Voltaire não podia ser lido senão com uma solene advertência prévia, pois escrevera coisas terríveis a respeito do povo eleito. Sim, Voltaire devia ser queimado e substituído pelos escritos da dita alforreca mental. Como alguém disse, vivemos sob a tirania dos estúpidos e a única conspiração com real capacidade para anular três mil anos de história do pensamento é a conspiração dos idiotas.

2 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

"François Hollande, como bom socialista e com uma formação académica e política excecionais, antes e depois do seu discurso de vitória, declarou, sem papas na língua, que com a austeridade não se vai a lado nenhum"

Mário Soares, hoje, no DN

Formação académica e política excepcionais. Isto resume o estado a que chegou a classe política europeia. Temos presidentes de Câmara que ao pé de Hollande, são oradores de estalo.

Álvaro Queirós disse...

gostei, vivemos o parecer....