30 maio 2012

Fotos e momentos: o confronto com António José Seguro


Foi há vinte e dois anos. António José Seguro, então líder da JS; eu, então secretário-geral da Nova Monarquia. Um debate franco, sem mortos nem feridos no Diário de Lisboa, definindo posições, marcando diferenças - que mantenho e manterei - não obstante não fazer política e não militar em qualquer grupo. Naquele tempo distante já se manifestavam os primeiros sintomas da obsessão de alguma direita pelo primado da economia - leia-se, pelos negócios - e o principio do fim  da identidade histórica da direita portuguesa, atlantista, universalista e patriótica. Cavaco começava a fazer razias.
Seguro era um defensor apaixonado da tradição socialista. Hoje, pouco se distingue de um morno liberal. As pessoas mudam. Umas mudam mais que outras.

1 comentário:

Duarte Meira disse...

Lendo com muito gosto, e pessoal interesse, estas recordações sobre essa luz de esperança portuguesa que foi a Nova Monarquia, permita-me uma sugestão. Era o Miguel trazer aqui, de uma forma mais ordenada e sistematizada, alguns apontamentos sobre a história (exemplar)dessa bela iniciativa, para memória dos velhos e exemplo dos novos. Sobretudo por mor dos nossos mais moços, tão pobres e precisados de saberem destas coisas.

E melhor ainda seria se o Miguel antecedesse as suas memórias dum brve conspecto histórico e crítico das realções entre a Monarquia,os monárquicos e o Estado Novo.

(Salazar parece que se tornou moda, e muitos dos nossos mais novos, como órfãos sem pais, têm ternuras de netos por um avô sábio...)