23 abril 2012

Vasco de Melena e Pá, dégage


Os patuscos da Associação 25 da Silva - que têm estaminé onde se come bem e barato - não comemoram o 25. A Visão, que neste particular devia mudar o nome para Invisão, pergunta nas parangonas se é necessário um novo 25 da Silva. Ora, se os patuscos se querem verdadeiramente solidarizar com as vítimas da fome, do desemprego e do abandono - não contando com os 30% de jovens que já emigraram - podiam, por exemplo, sugerir ao Ministério da Defesa conveniente e patriótica redução do número de senhores generais do Kriegspiel e da Heinecker (cerca de 130) e dê baixa  compulsiva às dezenas de senhores almirantes no activo. As flores do mal da oligarquia portuguesa parecem-se cada vez mais com as metíficas welwitschias mirabilis do deserto das Terras do Fim do Mundo, as tais que exalam inebriante perfume de essência de carne podre.

1 comentário:

Isabel Metello disse...

:))) Na mouche! Estes predadores que destruíram o país com as suas coutadas, feudos, excessos e uso dos outros como carne para canhão deveria ser posta na ordem comme il faut! Por mim, melhor que não participem nas comemorações do 25 de Abril- há 37 anos que ando a ouvir sempre as mesmas cantilenas boçais para as quais já não há a mais pequena pachorra. É, finalmente a assunção das suas verdadeiras intenções de um golpe de estado militar a que chamaram revolução- o resultado está à vista e gente sem consciência nunca assume aresponsabilidade dos seus actos- faz parte do perfil! Agora, querem inverter situações- outra característica do mesmo!
Engraçado que ao absterem-se da comemoração (Mário Soares incluído) estão a assinar por baixo a sua própria responsabilização pewla hecatombe, o que não deixa de ter a sua piada!