01 março 2012

Os "gajos" e os "tipos"

O João di-lo com clareza, pelo que não é necessário acrescentar uma palavra. Não gosto, decididamente, de ouvir um ex-chefe de Estado referir-se a terceiros nos termos em que o licenciado Mário Soares o fez repetidamente num programa de travo memorialístico-vindicativo. Aos apodos de "gajo" e "tipo", generosamente distribuídos, somou-se um quase desprezo pelos "bons tipos", aqueles que não sendo "gajos" nem "tipos" (os adversários), se situam no patamar dos pobres-diabos satelizados. Mas nada disto é novo. Ainda há semanas, um professor universitário referia-se publicamente a SAR como "um bom tipo". Não gostei, mas não é esta a factura que todos pagamos pelo declínio irresistível para o atoleiro do rasca?

1 comentário:

Pedro Botelho disse...

É bem verdade que já não há respeito por nada nem ninguém. Até uma criança inocente pode ser satirizada sem remorso por quem devia mostrar mais juízo:

www.youtube.com/watch?v=1KFq-DwHj3k

www.youtube.com/watch?v=N4-UMfLjXlA