05 agosto 2011

Outros tempos ou quando havia grandeza no cerimonial de Estado

Clique para ver e perder horas no fascinante mundo do British Pathé.
E mais, muito mais.

04 agosto 2011

Só os pobres de espírito podem dizer que Portugal é um pequeno país


Banguecoque, 10 de Junho de 2011. Crianças luso-descendentes da paróquia de Santa Cruz de Thonburi. Precisa-se, urgentemente, o Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal na Tailândia !

03 agosto 2011

Grande lição de monarquia

Ignorâncias

Um jornal que se edita em Bangkok em lingua inglesa publicou recentemente um longo artigo sobre as relações entre Portugal e a Tailândia. Algures no texto anotei: "Yet many Portuguese today are decidedly ignorant about Thailand. Generalities abound, with many believing that Bangkok is in Indochina, bamboo is everywhere, the city is criss-crossed with rivers and canals, and the movie "Tears of the Black Tiger" is great".


Não deixa de ser verdade, muito embora os tailandeses sejam, também, de uma ignorância espantosa a respeito não só da nossa história, como da sua própria. Os portugueses não conhecem a sua história e até há quem dela escarneça. A verdade, caríssimos tecnocratas, é que a história não só é fundamento para todas as humanidades - detesto a expressão marxistóide de "ciências sociais" - como sem ela corremos o risco de nos transformamos naquilo que são os povos sem tempo (vide Eua), ou seja, selvagens. O problema português é o da preguiça, da falta de hábitos de leitura, da superficialidade e das generalizações, da ausência de método e sistematização. Assim, não há escolas, correntes, linhas de investigação inovadoras. Tudo o que sai parece isolado, produto do esforço solitário e de heroicidade vã; logo, condenado a não frutificar. Depois, parte apreciável da actividade universitária parece ter como fim último a obtenção de um diploma e "fazer curriculum", ou seja, escrever e publicar, escrever e publicar n'importe quoi.


Todos os dias, ao fim da tarde, antes de jantar, abro a televisão e ali estou meia hora fazendo zapping. Ontem, dei com um programa sobre o Marquês de Pombal, coisa incomestível e laudatória do facínora Sebastião José apresentada por um certo Miguel Real. Quando o fulano, logo no início fez alusão aos "marqueses e duqueses" (SIC) perdi o interesse, pois fiquei de imediato esclarecido. Um "académico" que diz "duqueses" nada tem a ensinar.