19 fevereiro 2011

Soberbo e grandioso

Zarah Leander, a vida de uma diva, de Jutta Jacobi. Talvez uma das maiores figuras do século XX.

O conquistador conquistado

Elvis Presley: Muss ich denn zun Stadchen hinaus



15 fevereiro 2011

Revolta democrática em Andorra


Do enviado especial da CNN Nachum King

As forças da oposição democrática, pedindo o restabelecimento da liberdade e o acatamento das cartas internacionais, manifestaram-se hoje em Andorra la Vella pela décima noite consecutiva pedindo a demissão do Bispo Príncipe Joan Enric Vives i Sicília. A oposição, que se organiza através da plataforma "internautas contra a corrupção" acusa o regime oligárquico de tudo fazer para impedir a implantação de um verdadeiro Estado de Direito. Rosarito Increíble e Amparito Valdeviños, a primeira recentemente galardoada com o prémio "Mulheres deste Mundo", a segunda, consultora da ISTT, Investment, Business and Market querem levar o protesto ao Tribunal Internacional de Justiça.
Ontem, Mark Georgophoulos, um importante homem de negócios do sector imobiliário, presidente da Cash and Scams afirmou que Andorra é um caso único de feudalismo, obscurantismo e reaccionarismo que merece a pronta intervenção da comunidade internacional. Georgophoulos investiu este ano 3 biliões de Euros num projecto de reestruturação económica do principado, mas a ideia foi rejeitada pelas famílias que detêm o poder desde o século XVI.

14 fevereiro 2011

Os puros são sempre os mais perigosos: 50 anos após Céline


Há dois tipos de perigosos: os puros de qualquer coisa, aqueles que dizem viver por uma causa e se afirmam de convicções e os outros, aqueles que tendo sido o contrário dos puros, que jamais tiveram uma causa e nunca se lhes conheceu convicção alguma, receberam o fogo de uma pistis qualquer numa Estrada de Damasco. São os arrependidos, os que renasceram. Afirmava hoje uma das pitonisas de serviço que os "valores por que se bate são os de sempre, o que mudou foram as circunstâncias". Estou ciente que valores de sempre só há um e todos os demais estão condenados ao cemitério. As circunstâncias, essas, fazem puros para todos os serviços, mesmo que seja necessário matar a avó, estrangular o vizinho e deitar fogo a uma biblioteca.

As convicções deviam ser coisa reservada a anacoretas ou a filósofos, conquanto fossem proibidos de as passar ao papel ou de as divulgar. O mais perigoso nas ideias é a acessibilidade das formas. Os fanáticos de qualquer coisa - até da liberdade - estão para as ideias como os dentes para a boca: usam-nas mais para morder que para exercitar a linguagem. A linguagem é como uma escada. Começando a subi-la, vai-se até cima. As convicções, essas, não se pensam, estão lá, são inacessíveis ao argumento, à comparação e à discussão. Não tenham os ingénuos ilusões a respeito de quaisquer puros: à primeira oportunidade serão triturados pelos dentes dos "bem aventurados" e demais que se afirmam intérpretes de uma inteligência imperscrutável.