19 dezembro 2011

Modo planificado de produção de lágrimas

3 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Nas primeiras imagens, ficamos sem saber se estão com vontade de rir. Nem uma lágrima, parece uma coisa dos Gato Fedorento ;)

NanBanJin disse...

Isto é tudo teatro, Nuno, e tão mal representado, que mete dó.

Esta gente sabe perfeitamente no que está metida: uma comunidade nacional inteira forçada a um suicídio colectivo por inanição e em nome do 'status quo' de um regime ignóbil de tão brutal quão falhado que é.

Os níveis de corrupção neste momento na RPDC são tais e abrangem de tal modo toda a estratificação social do país, permeando inclusive as unidades tidas por mais 'leais' nas forças militares e de segurança, que nem se percebe bem como é que a situação ainda se sustenta a si mesma.

E não esquecendo dois aspectos importantíssimos: 1. o próprio exército já está, pelo menos desde o ano passado, a sofrer os efeitos da mal-nutrição, com rações cortadas a menos de 400 cal./dia por homem, e 2. a entrega 'de bandeja' das principais jazidas de carvão do país à China, ao que consta no início deste ano, e a troco de remessas de bens essenciais (que se esgotarão a breve trecho como é evidente...), conseguiu agravar a situação energética do país, que, se já era de per si péssima, agora e desta feita passou para níveis de puro e simples pré-colapso.

Por estas e outras razões, tenho sérias dúvidas que Kim Jong-Un, venha a ter o cortejo triunfal de ascensão ao poder como o que o avô preparou para o pai, e que este preparou para si.
Para para mais, efeito dos seus parcos e inexperientes 26 anos de idade, e tendo tido pouco tempo para preparar a sua inserção junto das forças militares e de segurança, KJU é apontado por vários analistas como incapaz de manter o punho cerrado do regime, pelo menos aos níveis a que este até hoje foi mantido — sob exigência de lealdade absoluta e inquestionável à liderança, sendo o mais ínfimo sinal de dissensão imediatamente punido de forma draconiana.

Este seria portanto o momento mais que propício para por fim a este absurdo e à tragédia do povo norte-coreano que diariamente assiste à degradação das suas condições de existência, hoje já arrastadas aos níveis da mais sub-humana das misérias.
Porém só nos resta esperar e ver.

Luís F. Afonso, Japão

Isabel Metello disse...

isto é o Admirável Mundo Novo e o 1984 em directo...Pode até ser que alguns estejam já tão alienados que achem mesmo que partiu um deus, mas creio que a hipótese mais plausível é de terem de chorar pois caso contrário chorariam e gritariam de dor, depois, mesmo a sério, nas salas de tortura! É um regime abominável!