25 novembro 2011

Um furacão chamado Jacques Pauwels



Jacques Pauwels, um dos mais carismáticos historiadores do nosso tempo, está a criar furor com a abordagem desinibida e herética a temas até hoje considerados intocáveis. Ouçamo-lo, suspendendo reacções epidérmicas. Uma lição magistral.

3 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Bem, apesar do que ele diz, os americanos tentaram provocar a guerra fosse por que forma fosse: escolta de comboios aliados até às imediações da Islândia - impedindo os ataques dos U-Boot -, congelamento de bens do Eixo, apresamento de navios do Eixo, os inflamados discursos de Roosevel através da rádio, o Lend and Lease e o Cash and Carry vedado às potências do Eixo, etc. Eles quiseram mesmo a guerra contra a Alemanha e o único problema seria a forma como poderiam obtê-la sem tomarem a iniciativa. Hitler deu-lhes aquilo que queriam.

Combustões disse...

Nuno, ele é revolucionário na abordagem, pois repõe a serenidade e racionaliza, colocando o problema da guerra no seu quadro eminentemente geopolítico. Ali não há ideologia, diabolização.É tudo claro,por vezes chocante.

Buíça disse...

http://www.youtube.com/watch?v=hA736oK9FPg

http://www.youtube.com/watch?v=Hq8_EkupU5A

A guerra sempre foi um bom negócio...