21 outubro 2011

Sorriso da morte




Se há pior atitude que a indiferença perante a morte de outrem, esse é certamente o gracejar perante um cadáver. Como dizia Luís Pacheco, o maldito, "ninguém tem razão perante um cadáver". Só a América se vangloria perante tais espectáculos. Uma vergonha. Diz-se que Truman. ao tomar conhecimento do lançamento da primeira bomba atómica, terá exclamado: "vamos tomar o pequeno almoço e depois tratamos disso". Expressões que são por inteiro uma weltanshauung.
Entre a matança de Kadaffi e os seus filhos e o massacre de uma inteira reserva de leões, tigres e ursos, a única diferença parece residir na quase indiferença com que foi seguida a tragédia do Ohio. Para gente que matou em trinta anos (1840-1870) cerca de 100 milhões de bisontes e quase 2 milhões de índios, a contabilidade da morte faz parte do negócio da vida.

4 comentários:

António Lino disse...

Bom dia

Concordo com o teor do post em geral.
Quanto aos americanos e à sua indiferença, fica bem não esquecer que, se uns são justamente criticáveis, nós europeus não ficamos bem em qualquer retrato, com as nossas guerras incontáveis, incluindo as mais mortíferas da história.
Obrigado, e continue com o bom trabalho

António Lino

João Pedro disse...

Não era uma reserva de animais, mas um zoo privado que o alucinado dono soltou antes de se suicidar. A polícia local não pôde fazer outra coisa senão abatê-los, para evitar vítimas humanas. Apesar de ser no Ohio, não era uma região muito urbana. Provavelmente não haveria tranquilizantes e ou outros meios disponíveis.

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Ilustre Dr. M. Castelo Branco
Estou inteiramente de acordo com suas sábias palavras.
Abraço amigo

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Ilustre Dr. M. Castelo Branco
Estou inteiramente de acordo com suas sábias palavras.
Abraço amigo