15 outubro 2011

A minha indignação

...por ver as falsas elites - aquelas que nunca tiveram um contratempo; que têm sempre um amigo no tal concurso público; que passaram décadas a martirizar o orçamento do Estado com reivindicações, regalias e subsídios; que pediam direitos especais e favores; que enchiam os departamentos do Estado mas não trabalhavam; que achavam natural sair do país duas ou três vezes por ano para ver a tal exposição em Paris ou para se queimarem nas praias dos Brasis e das repúblicas Dominicanas, sempre servidos por criados; que nunca pensaram que o tal "socialismo" iria ser alimentado ad eternum pelos contribuintes europeus; que se mostraram ufanos por serem europeus, conquanto mantivessem os vícios de um regime social fundado na cunha, no absentismo laboral e no emprego sem trabalho; que se diziam das esquerdas e progressistas, mas renderam-se ao mais desbragado consumismo (três carros por família, computador novo cada ano, casa na cidade, casa no campo, casa na praia, cartões de crédito); que tudo fizeram para cortar os laços que nos prendiam ao mundo (o espaço português); que retiraram dos pedestais os homens que fizeram grande Portugal e descerraram estátuas a bandidos, desertores e inimigos do país; que nos idos de 74 e 75 (logo após o tal vinte e tantos da Silva) foram MRPP's ferrenhos e mais tarde tomaram de assalto os capitalistas PPD e PS; que continuam a querer a Constituição da desgraça (...) - tenham o atrevimento de pedir mais.
Esquecem-se que na China, na Índia e na Tailândia, as pessoas trabalham de segunda a sábado, têm 10 dias de férias anuais, desconhecem o 13º e o 14º ordenados e gargalham, como se de uma piada se tratasse, do tal "rendimento mínimo garantido". Esquecem-se que lá um cientista, um médico ou um professor universitário ganham trezentos Euros por mês e não são miseráveis, produzem cinco vezes mais que um "indignado" e a riqueza das sociedades onde vivem cresce 10%, 15% ou 20% por ano.

VÃO-SE DESPIR !

1 comentário:

Rui F Santos disse...

como sempre, excelente!
abç
Rui Santos