17 agosto 2011

40 anos de regime

Há tempos perguntei a uma das 700.000 funcionária(o)s públicas se conhecia algo de Eça e fui presenteado com um "Eça, que é? Nunca ouvi falar". Mas sabia Saramago, "aquele senhor de idade que casou com uma espanhola". Anteontem, uma outra funcionária perguntou-me quem era aquele senhor de "bigodaças" que eu tinha na mesa. Disse-lhe que era meu tetravô e que se chamava Camilo Castelo-Branco. "Té quê ? Castelo-Branco só conheço o da tv. O senhor dótór não é primo dele?" Uma bibliotecária - que possui licenciatura e um curso de especialização em biblioteconomia - andava nervosíssima em volta dos catálogos para poder prestar ajuda a um "investigador". Ao fim de dez minutos, virou-se para uma colega e perguntou-lhe: "ó Paula, temos alguma coisa sobre as CARPINTARIAS do Brasil ? Queria dizer capitanias !
Hoje, no banco, ouvi o seguinte diálogo prodigioso:
-"Então, a MERKLE e o SÁKÓSSI" querem roubar-nos o dinheirinho? Estes FÁSSISTAS" do "CÁ-PITALISMO" estão mesmo "tótós". Virei-me discretamente e quando pensava encontrar duas criaturas metidas em saias-saco, dei com duas burguesitas cheias de brios no vestir e nas madeixas pintadas de fresco. Ao sair, uma delas estava a falar da "universidade" e do "mestrado" que ia tirar.
Este é o resultado de décadas de especulação e inflação de títulos académicos. Estamos, verdadeiramente, na lama.

9 comentários:

Luís disse...

Sem dúvida. Mas porque limita as causas da incultura ao regime dos últimos 40 anos? Quem escreve sobre os 500 anos da relação Portugal-Tailandia só vê os últimos 40 anos?

Combustões disse...

Não limito,mas verifico que o caminho triunfal para a Europa foi um tremendo fracasso e que Portugal ficou atrás, na cauda, com a agravante de continuar semi-analfabeto acrescentando ao palmarés ter perdido a agricultura, as minas, a indústria, a marinha mercante e a frota pesqueira. Ficamos, assim, condenados a fornecer emigrantes ou a servir às mesas. Estamos, absolutamente, reduzidos a serviçais, sopeiros e sopeiras.

António Bettencourt disse...

Deixe lá, Agora, com as Novas Oportunidades, o futuro será ainda mais brilhante e radioso.

Paulo Selão disse...

Essa gente é que tem valor em Portugal e ponto final.
Mais palavras para quê?

R. Vieira disse...

E "guias turísticos", acrescentaria eu, assim mesmo, entre aspas (mas aí não cabem também os serviçais, afinal?). A ideia de "indústria do turismo" foi outra das falácias que nos tentaram impingir, juntamente com a ideia peregrina de que para prosperar nos bastariam o betão e os serviços...

Eduardo Saraiva disse...

40 anos de regime e um país que já leva 37 anos de democracia.
É sempre oportuno não dissociar os "tempos" porque ambos os "tempos" têm os seus responsáveis.

Eduardo Saraiva disse...

Deixei ontem um comentário normalíssimo e nada ofensivo. É possível saber as razões da não publicação?

Combustões disse...

Calma, calma, pois não venho ao blogue todos os dias. Publico todas as mensagens, claro, com plena abertura ao contraditório. Aqui só não aceito palavrório rasca e ataques a pessoas.

Eduardo Saraiva disse...

Como não conhecia o "tempo" de voltar ao blogue, a minha pergunta.
Abraço