15 junho 2011

Prosas fantásticas: Otelo e a odalisca




"Os africanos que levam para os italianos exporem em Turim eram notabilidades da Abissínia. Um rapaz espadaúdo e forte, com fisionomia aberta e rasgada, era filho de um régulo amigo da Itália. O outro era um guerreiro que mostrava com desvanecimento os braceletes de prata, indicando cada um as mortes que havia feito em combate (...). Guardava, desconfiado, uma preta, sua mulher (...). Enquanto ela se desvanecia, sabendo-se observada e apreciada, ele remexia-se, abrasado em ciúmes e com ares ameaçadores de algum feroz Otelo".


Adolfo Loureiro, No Oriente de Nápoles à China, Lisboa, Imp. Nacional, 1897.

Sem comentários: