21 junho 2011

Fofoca da tomada de posse: Miguel Relvas e o café entornado



Combustões esteve na tomada de posse. Ninguém viu, mas foi um transtorno que fez correr meio protocolo, um condutor em busca de uma camisa e de uma gravata, mais secretárias de secador em riste procurando salvar a imagem de Miguel Relvas. Explico. O ministro deixou cair inteirinha uma chávena de café sobre o peito. Não podia tomar posse naqueles preparos e foi necessário sangue frio para resolver a situação. A nódoa era enorme, a camisa enegrecida, a gravata a pingar, forro do casaco, calças, tudo. O ministro saiu-se bem, com muito fair play, auto-domínio e até um sorriso cheio, entre o envergonhado e o resignado. Foi para um gabinete do palácio, esperou pacientemente a muda de roupa e lá apareceu, meia hora depois, vestido para assumir as responsabilidades. Começa bem e não se perdeu em lamúrias nem despejou a ira sobre o secretariado. Deixou-se vestir, secar e pentear, o que é bom para um governante.


Guardia Vieja

2 comentários:

Imprensa na rede disse...

Meu nome é Tatiana Dias e trabalho para uma empresa de Comunicação e Marketing, na Espanha. Gostaria de saber se te interessa colaborar com uma campanha de publicidade de um site de classificados gratis em Portugal. Pagamos 40 euros por PayPal pelo trabalho.
Se está interessada na proposta, não deixe de entrar em contato comigo em este mesmo e-mail: tatiana.segala@gmail.com
Atenciosamente,
Tatiana A Dias

Carlos Pires disse...

Miguel Relvas é o nome do novo governo (que é bom) que mais reservas merece. E não é pelo café entornado.