29 março 2011

Sopeirismo universitário no velório da Sr.ª Campos Ferreira



Postas de pescada, tiques de seriedade "científica", muita universitarite queixo-pousado-sobre-a mão, em suma, um conselho de sábios arrogantes a falar no éter para um país que já não ouve (e se os ouvisse nada compreenderia), lembrando a sem-vergonha sincera e corajosa do velho Leonardo Coimbra que dizia: "às vezes, quando falo, ninguém percebe o que digo; noutras, nem eu percebo o que digo".

A falsa universidade, a ilusão da comunicação, a ciência do nada, desprezíveis tiques de importância daquilo que não resolve, não sabe resolver e impede a libertação. Positivamente, valem menos que um varredor de ruas.

3 comentários:

cs disse...

Bom post. Na mouche

Nuno Castelo-Branco disse...

Mas lá estava um dótôr que escreve Espanha com H, ehehehehehehe

Samuel de Paiva Pires disse...

Fica para a História como um dos Prós e Contras mais ridículo de sempre.