09 janeiro 2011

O passado que regressa



Uma mensagem pelo facebook. Um amigo, vizinho em Lourenço Marques, perguntava-me se dele ainda me lembrava. Claro, foi ontem, há trinta e tal anos. Maravilhas da tecnologia, surpresas da vida. O que ficou da nossa infância - da nossa terra - está nas fotos. O resto, tudo o vento levou.
Horas depois, nova surpresa no reencontro com aquele que já fui. Nas escadas na Igreja da Polana, um friso de miúdos para a primeira comunhão. Eu, na primeira fila, a seguir às meninas olhando para o círio que tenho nas mãos.

3 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Em primeiro plano, o Luís Miguel Saraiva Barreto. Tu, com qualquer coisa na mão, eu de olhos fechados e de óculos, o Francisco da 31 de Janeiro (?). Bons tempos, nem sonhávamos com o que dentro em pouco chegaria.
Uma foto para a tola da dra. Maria José Morgado comentar, quem sabe?

Nuno Castelo-Branco disse...

Dizia, João Miguel S. Barreto...

Isabel Metello disse...

Eu tb, quando olho para as fotos familiares de Moçambique, penso que são memórias que nos fazem agradecer ter tido o privilégio de uma infância tão rica em termos humanos! Eu considero que muita gente nem faz a mínima ideia. Muitos daqueles que vão para lá agora parece que descobriram a pólvora :)