02 dezembro 2010

Confederação de Estados Lusófonos


Uma entrevista cheia de coragem, a entrevista de um homem livre, culto e disponível para servir Portugal. Doa a quem doer, sobretudo aos despeitados, D. Duarte revela-se aos 65 anos com a sabedoria, a moderação e a radicalidade da verdade. Passou a ser, decididamente, uma referência de honestidade e esperança.

2 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

E a entrevista de ontem, na SIC notícias foi excelente! Deve ter consistido num enorme bofetão desfechado na cara de muitos "intelectuais" do erário público. Muito bem fez Mário Crespo em ter convidado SAR para o telejornal da 9 da noite.

Carlos Velasco disse...

Caro Miguel,

Nossa raça parece acordar só quando parece tarde demais e, nessas horas, costuma sempre aparecer um homem providencial que consegue unir a todos em torno de um projecto comum, evitando os conflitos que podem dividir uma nação, especialmente quando a situação é demasiado tensa e confusa. Temos a fortuna de ter num Rei esse homem, e desse Rei ter no seu sangue e no seu trajecto ligações com todos os fragmentos do que um dia foi o Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. Hoje os outros fragmentos também podem ser alçados a reinos e temos uma posição invejável nesse mundo em transição. Que não haja dúvidas; a Europa Ocidental cairá e os EUA sofrerão muito para conseguirem sobreviver, podendo até desaparecer.
Portugal tem futuro! Perdidas estão as suas elites parasitárias e internacionalistas. O Quinto Império está mais do que nunca ao nosso alcance. Mas desta vez não podemos falhar, afinal, talvez seja a nossa última hipótese como povo.

Saudações luso-tropicais.