25 novembro 2010

Nepal: restauração monárquica à vista

Por uma nova monarquia, contra a desordem, o caos social e económico e a escalada totalitária pró-chinesa de comunistas e maoístas (os dois mais fortes partidos do país !), eis a mensagem do partido monárquico recentemente formado naquela que foi, até há dois anos, a última monarquia hindú. A violência atingiu proporções de alarme, os raptos sucedem-se, os contribuintes deixaram de pagar impostos, as greves e ocupações tomaram conta da vida empresarial, há desinvestimento estrangeiro e fuga de capitais. Neste cenário, muitos voltam-se de novo para a casa real e pedem a intervenção das casernas.

A queda da monarquia foi, como todos sabem, um golpe minuciosamente preparado pela China, em estreita colaboração com diplomatas da União Europeia, com tamanha similitude com a crise dos "Camisas Vermelhas" na Tailândia que dir-se-ia ter sido o complot tailandês de Abril-Maio últimos a reedição do bem sucedido golpe de Estado no Nepal. O golpe plutocrático-comunista na Tailândia falhou, porque a monarquia está mais sólida e profundamente entranhada no ser e nos modos do povo. Mas tudo tem o seu tempo. Aos nepaleses, bastaram dois anos de república para poderem comparar. Nós somos mais masoquistas: assistimos ao longo de um século ao deslizamento da liberdade, do orgulho e do elementar direito a escolher, até chegarmos a este nadir humilhante de pelintrice esfarrapada. Os nepaleses são, pois, mais lestos. Que concluam o trabalho o mais rápido possivel, é tudo quanto desejamos.

1 comentário:

NanBanJin disse...

Estimado Miguel — não negando que estas novas que ora traz sejam boas notícias —: mas não é verdade que a derrocada da Casa Real Nepalesa começou com o massacre de 1 de Junho de 2001 — pelas mãos do próprio legítimo herdeiro do Trono?
Caso par'além do bizarro, lá isso foi...

http://news.bbc.co.uk/2/hi/south_asia/1375097.stm


Aquele Abraço do Japão,
NBJ