21 novembro 2010

A cimeira como o meu pai a viu


"Regalei-me e ri bem à vontade com as fotos e legendas que puseste no teu blog a propósito da Nato muito desnatada que nos custou os olhos da cara e não sei se a Portugal serve para qualquer coisa!
Enfim, o que é preciso é aguentar os "cavais" para fazer perdurar esta burguesia - desculpa, queria dizer "infra-burguesia" - que nos assalta, espreme, devora e sacaneia noite e dia.
Vi algumas das imagens pela TV e devo confessar que fiquei preso a uma boa meia-dúzia: 1, a famosa capa de seda (?) listada de verde e cinza do mirífico Karzai que tão bem vai com o bivaque cinzento que parece ser de astracã, um desrespeito por um país que vive sob metralha e morre de fome, de angústia e de terror; 2, os deliciosos e apepineirados casibeques - não sei se o termo existe e está dicionarizado mas o facto é que traz ressonâncias camilianas - de todas as cores e com os mesmos botões que são a marca da distinta "afuheraida" que dá pelo cândido nome de Angela Merckel e que quer alcançar para a Alemanha o que falhou ao pintor de tabuletas do III Reich; e quer fazê-lo sem guerras destruidoras do húmus humano mas com a corrente caudalosa dos marcos alemães que ela conduz como euros demolidores; raios a partam; tenho dito!; 3, o ar de agoniado de quem sofre do estômago e tem úlceras duodenais: o senhor Cavaco, aliás, de par com o riso acontentado do senhor de Sousa, o que sempre é bem melhor do que lhe chamarem aquela outra cousa de ressonância filosófica, disciplina que ele nunca terá estudado; 4, a turbamulta de repórteres e fotógrafos a correrem de um lado para o outro (!) como quem anda à procura do caminho de Santiago, o do cinema espanhol que não o do santuário galego; 5, umas meninas e umas senhoras, de farda muito parecida, que andavam, também, de um lado para outro a conduzir não se sabe quem nem para quê, já que se tratava de gente que ninguém sabe quem seja nem se, em Verdade, existe; 6, uns locutores e jornalistas e convidados que falavam e falavam até deixar os telespectadores a arfar como cães cansados depois de uma corrida à beira-mar; 7: a chegada do delicioso e sofisticado Berlusconi que se fez esperar pois deve ter estado ocupado com algo mais importante do que esta lisboetice que nos arrancou mais uns cabelos; parabéns senhor Berlusconi e a sua desbundice; 8: o famoso, o português mais famoso por aqui e pelo mundo inteiro: o Bo do saltitante em forma Obama que sobe e desce escadas como quem se atira às laranjas e aos figos…
Tenho dito.
Abçs do Pai"

4 comentários:

Luís disse...

Grande Pai

Isabel Metello disse...

Demais, Miguel! Adorei ler :)! Os meus mais sinceros parabéns ao Senhor seu Pai!

m.a.g. disse...

... e não há pai para o seu (este pai fez-me lembrar outro - saudades)
Está excelente.

Nuno Castelo-Branco disse...

Também gostei, mas discordo quanto à utilidade da cimeira e quanto à posição de Merkel. Ela está cheia de razão.