27 julho 2010

Saldos da morte

O líder comunista cambojano Duch, director do centro especial de tortura e morte de Tuol Sleng, recebeu por fim a condenação pelos crimes cometidos durante o regime que mergulhou o país na mais remata experiência concentracionária do sudeste asiático. Feitos os descontos por onze anos já cumpridos, trinta anos parece ser um saldo revelador do embaratecimento do valor da vida humana. No centro S-21 foram mortas vinte mil pessoas. Ali entrou-se sem culpa formada e sem julgamento. Cada remessa de vítimas dos amanhãs ridentes cumpria todos os requisitos da planificação socialista. Não havia provas ? Inventavam-nas. Não havia leis ? Aplicava-se a pena capital por afogamento, electrochoques, estrangulamento e golpes de bastão. 20.000 mortos divididos por três anos dará, em tosta artimética, dá 20 mortes por dia. Trinta anos de prisão são 10.950 dias, ou seja 2 dias de prisão por cada vítima mortal. O crime compensa, sobretudo se se vestir de vermelho.


Sem comentários: