03 junho 2010

O estendal do gajismo

O esplendor da meia-tigela: a Cristina, presidente, mulher de Néstor "de Kirchner ", ex-presidente da mesma Argentina onde pontificaram Carlos Saúl Menem Akil com Fátima Zulema e, depois, Cecilia Bolocco, acusados de peculato e corrupção passiva que ascende aos dois dígitos de milhões de dólares. Um mundo com Maradona, culebrones e crises económicas de dimensões bíblicas, com cavalos abatidos em plena rua e esquartejados pela multidão esfaimada. O país que foi o terceiro mais rico do hemisfério ocidental nos tempos do longo, estável e educado liberalismo dos "terratenentes" e da "oligarquia inglesa", antes de descambar na tirania democrática - pois claro, foram eleitos e reeleitos - de um casal de fascistas de pacotilha e discurso socialista que comeu até ao osso as empresas que produziam e cortou cerce o pescoço à elite letrada, chegando ao extremo de humilhar o "conservador e reaccionário" Borges, demitindo-o do seu posto de funcionário da Biblioteca Nacional e transferindo-o para as nobres funções de inspector dos aviários da edilidade de Buenos Aires.

Foi como o tango. De dança "obscena" e proibida nos anos 20 ao triunfo universal, espalhou-se pelo mundo a moda dos Kirchener, dos Menem, dos Maradona e dos culebrones. É o homem novo, levantado do chão, maravilha fatal da nossa idade que vai espalhando pelo mundo dito democrático - com muitas eleições - o triunfo da mediocridade atrevida. No fundo, este preiamar da democracia totalitária parece só ter poupado a velha, teimosa e imóvel Albion, onde nunca germinou o simpático despeito por aquilo que não se vende nem tem preço: a liberdade. A democracia não é o número: é uma cultura, um método e um antídoto contra a irresponsabilidade. É difícil fazer montanhismo. As montanhas caíram. Hoje, só há pântanos !

10 comentários:

tst oproprio disse...

não só a ALbion foi poupada é esquecer o sueco trineto de um capitão promovido a general ou um dos seus primos escandinavos
que a Albion também se vende às 500mil libras de cada vez...
e esse baluarte de estabilidade a terra dos Suazis

sempre houve pântanos e sempre haverá seja você rei seja eu...
cavaco seja
soares que o foi
há sempre clientelas a alimentar
e quando elas são tíbias
500 homens derrubam um regime e implantam outro
deixe cá ver foi há 99 anos e uns meses e ninguém se mexeu então...
um alucinado em 1919 couces tentou dar ...pouco conseguiu

tst oproprio disse...

não só a ALbion foi poupada é esquecer o sueco trineto de um capitão promovido a general ou um dos seus primos escandinavos
que a Albion também se vende às 500mil libras de cada vez...
e esse baluarte de estabilidade a terra dos Suazis

sempre houve pântanos e sempre haverá seja você rei seja eu...
cavaco seja
soares que o foi
há sempre clientelas a alimentar
e quando elas são tíbias
500 homens derrubam um regime e implantam outro
deixe cá ver foi há 99 anos e uns meses e ninguém se mexeu então...
um alucinado em 1919 couces tentou dar ...pouco conseguiu

mikael disse...

o triunfo da mediocridade atrevida
e zog rei foi da albânia

e bernadotte rei foi da suécia

e a BÉLGICA CRIOU OS SEUS REIS da sua burguesia

e aos plantagenetas outra mediocridade arrogante sucedeu e traindo os direitos sucessórios do irmão estabeleceu a sua fraca gens no trono da albiónica mediocritas

a classe média em modos e ideias que ascendeu ao poder pois o seu povo tem de ter modelos com quem se identifique

retrant
reis ou poetas tanto me faz
o tempo os leva o tempo os traz

Manuel Brás disse...

E pântanos bem fedorentos!

Tantas esperanças saldadas
nestes tempos espaventosos
pelas medidas malfadadas
de políticos portentosos.

Com a devida assinatura
carregada de leviandade
fica exposta a estatura
da nossa conaturalidade.

Planando naturalmente
por muitas vicissitudes
de um caos tão demente
repleto de lassitudes.

Vivemos numa sociedade
de valores desencaminhados,
elevando a moralidade
de tantos ideais definhados.

mikael ar canjas disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
tst oproprio disse...

a vossa é uma boa fé é a fé no Homem mais propriamente um Homem
e muitos bons homens serviram...

DO SEU AYO MUITO DEDICADO CARTA DE MOUZINHO
NASCEO VOSSA ALTEZA N'UMA EPOCHA BEM DESGRAÇADA PARA ESTE PAIZ....
e o principe deu pela força da sua vontade um impulso às nossas naus


É A MINHA PREFERIDA COMO FÉ HOMENS ACEITARAM SERVIR OS DEUSES PERSONIFICADOS NOUTROS HOMENS
E É UMA FÉ MAIS SÃ QUE OUTRAS FÉS

SERVIR O HOMEM QUE É O SERVIDOR DO SEU POVO


DA RELIGIÃO E DO TRONO....
EM CADA HOMEM A QUALIDADE DO SEU CRIADOR PODE VIVER...

MANTÊM O MEU POVO VIVO Ó DEUS SEI QUE SOMOS IGNORANTES...E ESTUPIDOS COMO A MAIS BAIXA FORMA DE VIDA E INCAPAZES DE SABEDORIA
MAS DEUS MANTÉM O MEU POVO LIVRE E VIVO

PACIÊNCIA... DISSE O REI TUDO O QUE PRECISAMOS É TER TOLERÂNCIA UNS PELOS OUTROS

MONARKIA É UM IDEAL TÃO BOM COMO TODOS OS OUTROS IDEAIS
INFELIZMENTE O PROBLEMA NÃO SÃO OS IDEAIS....
SÃO OS HOMENS que servem esses ideais
OS DEFENSORES DOS IDEAIS QUE ASSASSINAM AQUILO QUE AMAM

É O HOMEM A RAIZ DE TODOS OS MALES MAS NÃO PODEMOS VIVER SEM ELE

Nuno Castelo-Branco disse...

Caramba, este post responde de antemão aos comentários. Por "acaso", alguns deles parecem ter sido escritos pela mesma pessoa, com "nicks" diferentes. Porque será?

Carlos Velasco disse...

Bela lembrança! Ainda me lembro do começo desta era, os "anos da pizza com champagne". Menem na Argentina e Collor no Brasil. Perderam a classe média, as indústrias nacionais e as forças armadas. Ganharam os yuppies, as corporações internacionalistas e os comerciantes de coca.
E agora chegaram os comunas e tomaram tudo.
Marx tinha razão quando afirmou o carácter revolucionário do liberalismo e a importância dele como preparação para o comunismo.
No admirável mundo novo que vem aí, ainda há de se construir estátuas em homenagem aos Jet Skys e às bandejas de prata e montanhas de coca que circularam nas festinhas do beautiful people.

http://www.youtube.com/watch?v=Q3L4spg8vyo

tst oproprio disse...

bolas meio-século de idade é metade a da república ...
se durares outros 50 talvez a democracia vejas na monarkia restaurada e daí talvez não
os comentarios parecidos são...
olhe vossaincelência o do poema é cá uma fragilidade gramatical que eu nem digo nada pra não ofender portugal
o verso é uma ofensa a Portugal e á língua que é bandeira
António Correia de oliveira um seu patrício suponho

tst oproprio disse...

anos da pizza com champagne é detestável e a coca é estrangeira consumam droga portuguesa o bom carrascão
champagne ofende portugal
o tintol liberta-o
sem tintol não tinhamos esfrangalhado os castelhanos
embirro com os catalães, gosto dos bascos,mas bom castelhano é o finado