20 junho 2010

Lisboa renascida

Não vivo em Lisboa há três anos, pelo que perdi a habituação que cansa os olhos e torna espessa a vista. Aterrei há dias, de passagem para visitar a família e realizar a última etapa de uma investigação, longa de anos, que me levou ao Oriente e acabou por me fixar em Banguecoque.

Lendo os blogues e os jornais em linha disponíveis, acompanhando o estendal de escândalos, latrocínio e impunidade que parecem ter-se fixado como condenação ao viver português, confesso ter adiado vezes sem conta a hora do regresso, nauseado com a putrefacção que sentia a milhares de quilómetros. Os ecos distantes deste tempo sem tempo levam à desesperança e à renúncia, em tudo fazendo recordar o terrível título de uma das mais dolorosas obras de António Manuel Couto Viana, meu amigo de sempre que me pregou a partida de subir aos céus dias antes da minha chegada: Ponto de não Regresso. Nesse livrinho, Couto Viana comparava Portugal a uma vala, nove palmos por três.

Porém, uma agradável surpresa aguardava-me. Não encontrei uma Lisboa moribunda ou cadavérica, desfigurada, maltrapilha e imunda como aquela que conheci. A nossa capital, aprumada, enxuta, lavada, pintada, arborizada e digna parece contradizer o pessimismo que vai na cabeça dos portugueses. Ontem passeei longamente pela cidade e fiquei maravilhado com a transfiguração de uma cidade que foi de Abecassis, Soares-filho, Sampaio e Santana antes de cair nas mãos de Costa. Como sou absolutamente avesso a partidarismos, como desconfio de camarilhas e curibecas, posso lavrar testemunho imparcial do que me foi dado ver.

António Costa fez obra. Contrariando a maledicência crónica, a má-fé, a verrina e o sarcasmo, coisas inventadas entre nós pela "maldita geração de 70", encontro uma Lisboa capital europeia. A cidade está irreconhecível, belíssima e ataviada com os encantos que só os poetas nela viam nos terríveis anos - que foram décadas - de vandalização metódica às mãos de edis que a odiaram, prostituíram, queimaram e "monstrificaram". Eu não voto, nunca votei, mas se um dia regressar, espero encontrar na presidência da CML o homem que me reconciliou com a minha capital, que restituiu vida e me devolveu a esperança no futuro do meu país. Sei que as pessoas não gostam de ouvir de mim tais elogios, mas seria injusto se o não fizesse.


12 comentários:

Bic Laranja disse...

Isso não é do 'jet lag'?

NanBanJin disse...

Meu Caro Miguel:

Agora aguçou-me a curiosidade.
Eu, já lá vai um ano e picos que vi Lisboa pela última vez, mas dess'última visita, não voltei nada, nada bem impressionado — e também eu, em Junho do ano passado, me passeei longas horas por variadíssimos lugares que sempre colheram o melhor dos meus afectos... Muito abandono, muita degradação, os mesmos males de sempre em duplicado... Mas essa foi a a minha impressão, muito pessoal, de então...

Quero muito crer neste seu testemunho, mas vou ser como S. Tomé: só vendo, só vendo...

Um Grande Abraço do Japão,

L.F. Afonso, NBJ

Joao Quaresma disse...

Caro Miguel: com todo o respeito e consideração, peço que apague este post. Nós que moramos em Lisboa vamos esquecer que o lemos. Pior que o que temos tido só mesmo chamando os camisas vermelhas para gerir Lisboa.

Fado Alexandrino disse...

Falta só terminar o tunel do Marquês, acabar o projecto da Praça de Espanha, conseguir dar um aspecto decente ao eixo Cais do Sodré - Campo de Cebolas e conseguir que a Quinta Ecológica de Campolide produza trigo.
No resto está tudo bem menos nas finanças.

Mauro Cappelari disse...

Meu caro, este artigo foi escrito sob o peso da saudade. Tão-só. O Costa, esse, nada tem a ver com isto...

David Levy disse...

Desculpe Miguel, mas estou em total desacordo com o que escreveu. É uma cidade cheia de lixo, a despovoar-se, com bairros sociais por todo o lado, cheia de dívidas.

Abraço

mr.dias disse...

Lisboa é magnifica!
Mas mais "aprumada, enxuta, lavada, pintada, arborizada e digna" parece a quem vem de longe e de a menos "aprumada, enxuta, lavada, pintada, arborizada" Banguecoque.

E menos "aprumada, enxuta, lavada, pintada, arborizada e digna" parece a quem vem de longe, como do Japão.

No entanto, Lisboa é magnifica, para além de juntar o toque europeu, o perfume africano e a paixão latina tem, ainda e a montes, o lindo povo português.

Caro Miguel, muito bem observado.
Cumprimentos,
http://playmaker10.blogs.sapo.pt/

adsensum disse...

Miguel, não posso concordar. Lisboa está suja e triste. Pela Baixa passeiam apenas turistas, é miserável. A partir das 19h é cada vez mais perigoso andar a pé nas zonas antigas dado estarem praticamente abandonadas. Todos os dias há lojas tradicionais a fechar portas porque não conseguem competir com os importados (e acredito que intragáveis), altamente calóricos american cupcakes.
É doentio assistir, cada dia que passa, a esta morte lenta.
Acredito que o seu amor pela cidade filtrou estes aspectos, dada a saudade. As coisas que o amor faz...

Hugo disse...

Como se pode ver pelos comentários ninguém melhor que os portugueses para dizerem mal de tudo e todos.

editor69 disse...

@Hugo...você não mora em Lisboa pois não?
Eu...moro na baixa pombalina...e sinceramente não sei onde o Miguel viu isso tudo...mas são opiniões!

David Levy disse...

@ Hugo

Você diz isso, porque não mora em Chelas...

Flávio Gonçalves disse...

"Fiquei encantado por finalmente descobrir Lisboa, uma cidade que faz jus a todas as descrições elogiosas que me tinham sido feitas. Com a justaposição de pequenos bairros que constituem o seu centro, Lisboa é uma espécie de anti-capital (emprego a palavra “capital” no pior sentido do termo). A beleza dos monumentos, a atmosfera de cultura que dela se desprende, as reminiscências históricas que facilmente apreendemos, fazem dela, na minha opinião, uma das raras últimas cidades civilizadas do mundo. Percorrendo as suas ruas, tive constantemente no espírito algumas das mais belas páginas de Fernando Pessoa, mas tinha também na memória o que os meus compatriotas Dominique de Roux e Raymond Abellio escreveram sobre o mito do 'Quinto Império'."

- Alain de Benoist em entrevista a "O Diabo" na semana passada.